terça-feira, 4 de outubro de 2016

DC Rebirth Julho - Quarta Semana - Análises

Encerrando o mês de Julho com as publicações do Rebirth, temos novas estréias com Batgirl, Hal Jordan, Asa Noturna e Titãs! Mulher Maravilha traz ainda mais qualidade para a revista e muitas outras aventuras nessa quarta semana: Arqueiro Verde, Asa Noturna, Hal Jordan, veja o que achamos:


Action Comics #960 por Dan Jurgens, Tyler Kirkham e Ulises Arreola.
Cuba: Com a ajuda da Mulher Maravilha, temos quase um repeteco de Batman v Superman nessa edição, o ressurgimento do Superman e Doomsday continuam chocando o mundo e sendo explorados na história. No entanto, a troca de artistas deixou muito a desejar, o trabalho de Kirkham leva a qualidade da revista bem pra baixo, com traços sem firmeza, ausência de fundo em alguns quadros, é um traço que aparenta inexperiência.

Batgirl #1 por Hope Larson, Rafael Albuquerque e Dave McCaig.
Cuba: Barbara Gordon vai ao Japão! Em sua nova jornada de auto conhecimento, Babs já encontra um amigo de infância e, até mesmo, uma possível nova mentora para sua vida secreta. Larson marca seu início na revista com um bom roteiro, mostrando os pontos a serem explorados nessa nova empreitada junto do brasileiro Albuquerque, que empresta traços com muita movimentação, complementados com seu estilo de colorização.

Detective Comics #937 por James Tynion IV, Alvaro Martinez, Raul Fernandez e Brad Anderson.
Cuba: A fuga de Bruce da Caverna dos Batmen! Na continuação desse arco, o Morcego consegue grandes respostas do que realmente está acontecendo com esse exército de morcegos-militares, e seu time vai ao resgate. A arte de Martinez lembra muito a do brasileiro Eddy Barrows, que faz a capa da edição, não só no traço, mas também na movimentação e narrativa gráfica. Parece que chegamos ao meio de uma grande aventura do Batman.

Hal Jordan e a Tropa dos Lanternas Verdes #1 por Robert Venditti, Rafa Sandoval, Jordi Tarragona e Tomeu Moray.
Cuba: Com o retorno da Luz Verde ao Universo, a Tropa Amarela, que agora faz a segurança de tudo e todos, pode não ser mais a 'mocinha' da história. Hal Jordan continua com seus problemas para manter a forma física e, ao final da edição, temos uma bela duma surpresa! Como sempre Venditti consegue já manter o leitor fascinado logo no primeiro volume da saga, junto da arte de Sandoval, que traz diversas caras conhecidas do grupo de Sinestro.

Asa Noturna #1 por Tim Seeley, Javier Fernandez e Chris Sotomayor.
Alex: A arte de Fernandez consegue fazer o retorno de Dick Grayson, agora em azul (infelizmente!), cheio de caretas e rostos esquisitos. Enfim, a revista gasta quase a metade das páginas com encontros e desencontros um pouco desnecessários, principalmente tendo em vista aquilo que já aconteceu em Rebirth #1. A grande questão é que, por mais que Dick esteja de volta com a roupa azul, essa é a única característica que ele trás consigo do passado. Seus planos e projetos são outros - inclusive, relacionados à Corte das Corujas. Se isso é positivo, nós não sabemos, mas que a revista é um início forte e convincente, isso com certeza. Talvez o tempo gasto em despedidas tenha cansado, mas o que vem por vir parece interessante.

Capuz Vermelho e os Fora da Lei: Rebirth #1 por Scott Lobdell, Dexter Soy e Veronica Gandini.
Kyo: A cada página de Red Hood Rebirth eu me mexia da cadeira simples e unicamente pela empolgação. A narração de Jason em conjunto do flashback das primeiras páginas faz com que este primeiro gibi se torne algo sensacional. A cada quadro, cada referência feita à páginas de décadas atrás faz com que a leitura desta HQ seja algo especial não apenas para o novo leitor, mas principalmente para quem já acompanha os Vigilantes de Gotham há anos. As conversas entre Jason e Bruce são um show a parte, cheio de cutucadas e palavras de fortes sentimentos. Eu esperava algo menos empolgante, uma narrativa crua com um carinha descendo a surra geral, mas acabei recebendo uma história emotiva e muito bem escrita. Até o presente momento, a minha favorita de todo o Rebirth.

The Flash #3 por Joshua Williamson, Carmine Di Giandomenico e Juan Plascencia.
Cuba: Central City está tomada por novos velocistas devido a uma tempestade de Força de Aceleração e bem, só há uma pessoa - e seu novo parceiro! - que pode resolver isso. E bem, aprendemos que o Museu do Flash ainda não existe nessa linha temporal que a revista se passa, mas Iron Heights está de pé e tem lá suas histórias. Williamson começa a mostrar Flash como um professor, do mesmo jeito que foi para Wally e Bart no passado, mas agora para a população que foi afetada pela tempestade. No meio disso tudo, temos a primeira aparição do novo vilão, Godspeed. O traço de Giandomenico começa a ficar cada vez mais intrínseco e se molda a narrativa rápida que é necessária nas revistas do Velocista Escarlate.


Titãs #1 por Dan Abnett, Brett Booth, Norm Rapmund e Andrew Dalhouse. 
Alex: O retorno de Wally West é, em geral, mal desenhado mas empolgante. Com os traços esquisitos de Bret Booth; a história aqui prossegue com um reencontro dos Titãs, finalmente, com Wally West. A revista começa nos dando uma resumida nos eventos passados e ajudando aquele que acabou comprando por causa do "#1" na capa. Os personagens todos juntos são interessantes, e alguns vilões inesperados retornam. Wally é, sem dúvida, muito bacana de ver na ativa de novo, principamente em um grupo que sempre o fez bem. Mas não dá pra negar que a correria das páginas e algumas enrolações desnecessárias criam um aspecto de filler nessa edição. É um capítulo que aposta em nostalgia de quem gostava dos titãs pós-Wolfman; o que não é um problema. É gostoso de ler, despretensioso e faz homenagem ao passado, mas não olha muito para o futuro.

Mulher Maravilha #3 por Greg Rucka, Liam Sharp e Laura Martin.
Cuba: Os traços de Liam Sharp são uma coisa incomum aos olhos, como o mesmo faz o lápis e arte final, ele consegue masterizar as hachuras que propõe no desenho e o jogo de luz e sombras, - que até podemos ver no roteiro, trazendo a antiga amizade de Diana e Mulher Leopardo - fascina até o olho mais treinado. A nova dupla agora tem um novo objetivo, a amazona quer reencontrar sua casa, mas sua amiga precisa de ajuda antes, lutando contra um deus.

Análises escritas por Ricardo Syozi, Alex Jacket e Rodrigo Castello.

0 crises:

Enviar um comentário