domingo, 25 de setembro de 2016

DC Rebirth Julho - Terceira Semana - Análises

Com a estréia de Aves de Rapina e Hellblazer, a terceira semana de julho começa com muitas, mas muitas ameaças ao planeta Terra! Também com primeiras edições do Rebirth, Hellblazer, juto de Batgirl e as Aves de Rapina fazem sua estréia, de novo, nas publicações da DC Comics, confira o que achamos de todas elas!
Aquaman #3 por Dan Abnett, Philippe Briones e Gabe Eltaeb.

Cuba: Mesmo tentando forçar um american way of life, Abnett começa a rodar as engrenagens desse primeiro arco, onde Arthur tenta conciliar a relação entre os EUA e Atlantis, e atos como os do Arraia Negra, impedem cada vez mais o entendimento entre as nações. Focando num lado mais textual, essa edição é usada para explicar alguns pontos e apresentar um pouco mais a ameaça da vez. Briones faz um bom trabalho na arte e traz bons detalhes ao cenário e outros objetos do layout, coisa que alguns artistas atuais não dão muita atenção.

Batgirl e as Aves de Rapina: Rebirth #1 por Julie Benson & Shawna Benson, Claire Roe e Allen Passalaqua.

Kyo: O traço inconsistente de Claire Roe atrapalha uma revista que podia ter se saído muito melhor do que o resultado final. As diferenças de "mão" que desenha é algo que incomoda tanto que a cada mudança drástica de quadro eu fazia uma careta. O texto narrado por Dinah é divertido, representa bem o atual estado "adolescente" de ambas as heroínas, o humor é bem medido, mesmo que de vez em quando alguma contradição aqui e ali dá as caras. No geral, não é uma primeira edição que empolga, mas o seu estilo consegue ao menos manter o interesse para a segunda edição. E que seja boa ou largo essa HQ.

Batman #3 por Tom King, David Finch, Denny Miki e Jordie Bellaire.
Cuba: King já desenvolve o background dos novos heróis de Gotham e claro, coloca o Morcego no meio disso tudo. Enquanto Bruce faz suas investigações, a história vai se desdobrando e o vilão da vez, melhor dizendo, vilões, nos são apresentados. A ideia de trazer personagens que estavam de escanteio por algum tempo pode se mostrar muito boa, principalmente pelo leque de desenvolvimentos que a revista pode ter. 

Arqueiro Verde #3 por Benjamin Percy e Juan Ferreyra.
Cuba: Com uma mudança na arte, o capista Juan Ferreyra traz um estilo de ilustração digital que prima por diferentes tipos de pinceis. A história continua com a narrativa de três personagens, Oliver, Dinah e Diggle, caçando o mesmo inimigo e as mesmas respostas. Benjamin Percy consegue elaborar a trama com bastante texto, mas de uma forma que não fica nada cansativo.

Lanternas Verdes #3 por Sam Humphries e diversos artistas.
Cuba: Com um festival de diferentes artistas, a revista vai trocando de traço no decorrer de suas páginas, todos com uma boa qualidade, trazendo boas cenas para a narrativa visual da história. Humphriens começa a dar mais carga a relação de Simon e Jessica, colocando até mesmo o inimigo e a razão de estarem atualmente como parceiros, no meio disso. As situações da dupla, explorando insegurança e ansiedades, dão boas lições para o leitor.

Liga da Justiça #1 por Bryan Hitch, Tony S. Daniel, Sandu Florea e Tomeu Morey.
Cuba: A revista principal da Liga está de volta, também nas mãos de Hitch, que já começa com uma história sensacional! Com um desastre em escala mundial, os membros da Liga estão cada um num canto do mundo. A narrativa mostra o que cada membro está fazendo e ajudando no momento, enquanto o verdadeiro inimigo se revela. O mais comum de se fazer é escrever e desenhar a Liga como um único grupo, mas Hitch e S. Daniel conseguiram mostrar o que os oito conseguem fazer, individualmente. A arte não tem como elogiar, a cor ainda ajuda no modo que as personagens são mostradas e a arte final mostra ainda mais a beleza do traço principal.

Superman #3 por Peter J. Tomasi & Patrick Gleason, Jorge Jimenez e Alejandro Sanchez.
Cuba: Assim como o Erradicador chegou as páginas do Escoteiro, Jorge Jimenez traz seu traço para impressionar, casando muito bem com as personagens. Dessa vez, é a primeira aparição do vilão nessa Terra, trazendo uma nova ameaça e colocando a família El no meio disso tudo. Enquanto o antigo Superman tem a consciência do que o Erradicador pode fazer, seu filho, que ainda está descobrindo seus poderes, não sabe de nada e, claro, quer ajudar.

Hellblazer: Rebirth #1 por Simon Oliver, Moritat e Andre Szymanowicz.
Cuba: John Constantine está de volta a Londres! A história e simples e traz a essência da personagem para sua nova revista. Falastrão, canalha, aproveitador, Constantine não se importa com ninguém e até quebra a quarta parede pra deixar isso bem claro. A edição lembra um pouco as antigas histórias do Monstro do Pântano, onde a Liga aparece no canto das páginas, fala algumas palavras e escolhe não se envolver. Seu único ponto fraco é a colorização, que deixa um pouco a desejar e não combina tão bem com o traço de Moritat, que divide a tarefa de colorir com Szymanowicz.

Análises escritas por Rodrigo Castello e Ricardo Syozi.

0 crises:

Enviar um comentário