segunda-feira, 19 de setembro de 2016

DC Rebirth Julho - Segunda Semana - Análises

Com a segunda semana de Julho, o Rebirth conta com conhecidos vilões: Apocalipse está de volta, o Parallax marca presença e até mesmo alguém que era tido como amigo, passa para o outro lado. Além disso, temos a estréia de um novo Super-Man, o garoto chinês Kenan Kong! Veja o que achamos das novas publicações da DC Comics:


Action Comics #959 por Dan Jurgens, Tyler Kirkham e Arif Prianto.
Cuba: O avanço de Doomsday continua e os mistérios cercando o novo Superman, Lex Luthor tentando ser bom e um Clark Kent aparecendo do nada, continuam. Investindo apenas na luta, Jurgens não escreve nada muito diferente, é uma leitura que não complementa muito na história e que nos faz esperar a próxima edição.

Detective Comics #936 por James Tynion IV, Alvaro Martinez, Raul Fernandez e Brad Anderson.
Cuba: Tynion se tornou um especialista em Batman e conseguiu construir um vilão onde ninguém olharia, dando uma chacoalhada no roteiro e transformando a leitura numa bela aventura do Morcego, claro, sem o mesmo. Como todo desenhista marcante que passa por Batman, Martinez consegue passar uma noção de movimento que poucos artistas mantém, dando uma vividez aos encapuzados de Gotham.

Hal Jordan e a Tropa dos Lanternas Verdes: Rebirth #1 por Robert Venditti, Ethan Van Sciver e Jason Wright.
Cuba: Venditti e Sciver juntos? Garantia de coisa muito boa e foi o que aconteceu. Essa primeira edição de Hal foi simplesmente fenomenal, juntando toda a força de vontade que habitou as histórias dos Lanternas nos últimos tempos, Venditti escreveu o começo de uma nova epopeia da Tropa e os desenhos de Sciver só ajudaram a fazer dessa uma grande história. Com Hal Jordan de um lado e Thaal Sinestro do outro, essa revista começa como uma das grandes promessas do Rebirth.

Novo Super-Man #1 por Gene Luan Yang, Viktor Bogdanovic, Richard Friend e Hi-fi.
Cuba: Kenan Kong é o típico adolescente babaca americano, só que a história aqui é contada na China, um 'mundo completamente diferente'. Na primeira edição ele já ganha seu pacote de origem - bem comum até - e história triste, contanto com uma apresentação bem peculiar de seus possíveis 'parceiros'. É uma revista interessante e, o que dá um toque especial é que Gene Luan Yang (ele escreveu os quadrinhos de Avatar!) nasceu na China e tem lá sua visão mais familiar da história que irá contar.

Nightwing: Rebirth #1 por Tim Seeley, Yanick Paquette e Nathan FairBairn.
Cuba: Piada com o Dick logo de cara, começamos bem! Como quase todas as edições Rebirth, essa traz um recomeço para Grayson e, Seeley, ainda consegue vincular toda a história com o origem do nome Nightwing e todas as aventuras de Dick como Agente 37. Essa edição é um ponto final e um recomeço, fechando todas as tramas anteriores, que corriam desde Mal Eterno. Paquette, como sempre, dispensa elogios por sua arte.

Flash #2 por Joshua Williamson, Carmine Giandomenico e Ivan Plascencia.
Cuba: Cuidando de seu novo 'parceiro', o detetive que foi atingido por um raio, quase nas mesmas condições que Barry, agora aprende aos poucos como usar a Força de Aceleração. Enquanto os capangas do Black Hole começam a colocar seus planos em prática, uma nova e, talvez, saudável amizade, começa a florescer. Williamson investe nos velocistas de um jeito peculiar, mas o sentimento de que uma boa história do Flash pode começar a qualquer momento, ainda paira no ar.


Mulher Maravilha #2 por Greg Rucka, Nicola Scott e Romulo Fajardo Jr.
Cuba: Ainda contando com Rucka, essa segunda edição traz o começo do novo jeito de se publicar Mulher Maravilha, intercalando as histórias a cada edição, nessa, com os traços de Nicola Scott, começa o arco Ano Um. Mais uma vez nos é contado o começo da história de Diana, porém, Rucka a mistura com os primórdios de Steve Trevor, o que dá uma fluidez muito boa na leitura e já cria um vínculo com as personagens.

Análises escritas por Rodrigo Castello, o Cuba, redator da coluna Primeira Edição.

0 crises:

Enviar um comentário