terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Saga Volume Dois - Análise


A continuação do primeiro encadernado do quadrinho da Image Comics; com distribuição no Brasil pela editora Devir, finalmente recebe seu devido tratamento aqui no Crise. Com um preço maior do quase impossível de se encontrar Volume Um; a série retorna com a qualidade esperada. Mas será que vale o preço de 65 reais?


Em dezembro de 2014; fizemos uma resenha do volume 1 de Saga, publicado no Brasil pela editora Devir. Com um preço, na época, de 50 reais; a edição era uma obra de arte, com uma qualidade impecável e tradução ímpar e hiper fiel, conseguindo entregar a obra prima de Brian K. Vaughan e Fiona Staples em um preço alto - porém acessível para os amantes dos quadrinhos.

Dois anos depois; Saga retorna às prateleiras em uma realidade muito diferente. Agora quinze reais mais caros; a qualidade continua fantástica como antes, mas a dificuldade de se encontrar o primeiro volume transforma a compra da continuação em uma espécie de produto para mercado de nicho ao invés de uma história que tem potencial de ser best-seller. 

Ainda; a falta de uma opção para uma versão de capa mole e uma tiragem baixa faz o segundo volume de Saga ficar um pouco distante do sedento leitor, que está interessado na continuação da história de Marko e Alana.

Saindo um pouco de detalhes externos da publicação e falando um pouco mais do conteúdo: Saga é irritantemente fenomenal. É uma história sem precedentes, com personagens fantásticos, história cativante, roteiro criativo, formatação única que conta com desenhos e cores muito - mas muito! - além da média esperada do mainstream das séries regulares do século 21.

Continuamos a história de amantes refugiados de uma guerra eterna; que, mesmo com a barreira da espécie e da política, se amam e tem uma bela filha. Mas, dessa vez, não ficamos somente com Alana, Marko e Hazel: a família do co-protagonista aparece; para entregar conflitos étnicos e raciais. O volume dois é, praticamente, sobre aceitação e amor. Sobre entender as diferenças e superar a barreira da confiança. Sobre amar aquele que nossos queridos amam.

E é, com essa premissa, que Saga continua sendo sem limites. Continua sendo uma leitura mágica e refrescante, que consegue captar em qualquer leitor uma vontade intensa de se continuar lendo. É o quadrinho ideal para quem nunca leu banda desenhada e, ao mesmo tempo, perfeito para quem está lendo revistas há anos.

É com essa cachoeira de elogios que Saga Volume Dois consegue seu público. O encadernado nos conta as histórias do capítulo sétimo até o capítulo doze; em páginas de qualidade altíssima e encadernação de dar inveja feita pela Devir. Saga, então, compensa com seu preço de 65 reais? Eu gostaria de responder que sim.

Mas na atual realidade; aonde o primeiro volume está sendo encontrado por 90 reais, fica difícil defender que o preço de 65 valha para todo mundo. Se você tem o primeiro e quer comprar o segundo; 65 reais vale a pena pela qualidade e conteúdo. Se você tem vontade de começar à ler; gastar mais de 150 reais é um pouco caro demais.

Espero que, no futuro, a Devir republique o primeiro volume; com opções de capa mole que consigam deixar o produto mais democrático e acessível. De qualquer maneira, a qualidade é impressionante e, o conteúdo, de se apaixonar.
***
Resenha feita por Alex Jacket; autor da coluna O Limite

0 crises:

Enviar um comentário