Avançar para o conteúdo principal

#DCYou Dezembro - Primeira Semana - Análise Completa

Trazendo o final de All-Star Seção Oito, a Primeira Semana de Dezembro traz diversas novas sagas nas revistas do #DCYou, com Batman do Futuro mostrando a nova ambientação de Gotham City, Prez chegando ao término de sua primeira parte de publicação e muito mais. Confira essa análise completíssima aqui no Crise!



Action Comics #47 por Greg Pak & Aaron Kuder, Georges Jeanty, Karl Story & vários artístas e Tomeu Morey & Pete Pantazis.
Cuba: Pak enumera os erros do Superman para com Metropolis e revela o real motivo do ódio da vilã contra o Escoteiro, fazendo passar por provações, colocando ele em contato quase que com seu próprio interior, se vendo de maneiras diferentes e, querendo ou não, Pak faz a personagem crescer. Não, não sabemos o que pode sair disso, mas fica claro que é um passo pro Superman. E assim sem mais se esticar, o arco das sombras acaba.

Alex: Retornando diretamente de onde paramos; o Super continua a sua luta contra a raiva; mas será que dá melhor forma possível? Com a descoberta de quem é a verdadeira vilã; a metáfora para o "raiva e violência gera raiva e violência" fecha o ciclo e mostra a realidade proposta por action comics mascarada em crítica.

All-Star Seção Oito #6 por Garth Enis, John McCrea e John Kalisz. 
Cuba:Quem melhor que o Superman pra ser o convidado de honra no encerramento da minissérie? E ela é claramente diferente de tudo o que você estava pensando. Sabe a calhordice das edições anteriores? Enis nos leva por uma visita a Fortaleza da Solidão, numa conversa profunda entre Sixpack e Super, analisando o verdadeiro significado do mundo e se tudo isso que vemos realmente existe ou não. De um modo igualmente impar, Enis termina tudo o que começou há 6 meses, acertando todas as pontas, fechando todo o enredo de um jeito que o leitor consegue sentir o calor da personagem naquela última página.

Batman & Robin Eternal #9 por James Tynion IV & Scott Snyder, Jackson Lanzing & Collin Kelly, Roge Antonio e Allen Passalaqua.
Cuba: A interação entre Jason e Tim é sensacional, até Repelente de Tubarão entra na conversa dos dois. Fugindo um pouco da linha central, a team-up com Bane e enfim o clima Eternal cai sobre a revista, trazendo cada vez mais personagens do Bat-Panteão para as páginas. Tynion e Snyder conseguem colocar mais uma linha na história da Mãe, para abraçar tudo o que o Batman significa.


Batman do Futuro #7 por Dan Jurgens, Stephen Thompson e Marcelo Maiolo.
Cuba: O fim do Irmão Olho já marcou uma nova direção para a revista, Jurgens reconstruirá o mundo do futuro, já estabelecendo suas personagens principais e um possível novo plot, mostrando que o Batman voltou para proteger Neo-Gotham dos estranhos e coloridos crimes do futuro. Finalmente concluindo o que veio desde Fim dos Futuros, a liberdade para esse novo mundo é gigantesca, levando em consideração toda a bagagem que a série animada criou, Jurgens terá um panorama incrível a ser explorado pela frente.

Ciborgue #5 por David F. Walker, Ivan Reis, Daniel HDR & Felipe Watanabe e vários artistas.
Cuba: Se tava faltando alguma informação nas revistas anteriores, essa pode ser considerada uma enciclopédia do que aconteceu até agora e os porquês de tudo. Formas tecnológicas limpando os ‘sacos de carne’ para deixar o mundo na perfeição? O próprio Ciborgue (ou seria Walker?) assume que isso está em todo e qualquer filme de robôs malignos, o clichê é jogado na cara para, talvez, amenizar o fato de estar acontecendo? O humor de Ciborgue vem em grande dose e a própria revista critica isso, é estranho ver um roteirista fazer uma coisa e ficar sempre apontando para ela.

Gotham Academy #12 por Becky Cloonam & Brendan Fletcher e Karl Kerschi.
Cuba: Pareceu meio corrido, pra concluir o mistério de Calamidade antes da Robin War começar. Mas o charme da revista continua, claro que a resposta foi suficiente pra deixar o roteiro em aberto, caso Cloonam e Fletcher escolham voltar ao tema, o que parece bem provável. O que mais agraciou a leitura foi o clima de aventura infantil, lembrando os filmes de Sessão da Tarde com crianças detetives, o que Gotham Academy passa muito bem, mas se sobressaiu nessa edição.

Gotham à Meia Noite #11 por Ray Fawkes e Juan Ferreyra.
Cuba: Horror Lovecraftiano? Pode contar que sim! E uma bela ascensão zumbi, diga-se de passagem, com direito a participação do Bat-Gordon. A primeira edição, em tempos, que consegue me envolver no enredo, Fawkes conseguiu superar o marasmo que se arremessou e agora, ainda mais pelas páginas finais, tem o caminho livre pra deixar sua marca na história do Espectro da Vingança e de Jim Corrigan.

Lanterna Verde #47 por Robert Venditti, Martin Coccolo, Billy Tan, Mark Irwin e Tony Aviña.
Cuba: Hal retorna a Terra e isso não é o único retorno que temos nessa edição que, sem dar spoilers, vai deixar todos de queixo caído! Mudando um pouco o visual, Hal visita sua família, que é recorrente na história, ainda mais quando tem algo grande pra acontecer. Depois das aventuras galácticas, Venditti volta a escrever Coast City e seus grandiosos desastres, já estabelecendo um grande evento para começar a nova saga.

A Pequena Lista Negra da Arlequina #1 por Jimmy Palmiotti & Amanda Conner, John Timms, Dave Johnson, Paul Mounts e Hi-fi.
Cuba: Apresentado como uma série de crossovers entre Arlequina e as personagens do Universo DC, essa primeira edição tem seus holofotes apontados para a Mulher Maravilha e claro, a palhacinha tentando roubar o lugar de sua, sim acreditem, maior ídolo no mundo! Cheio de calhordice e introduzindo a Liga da Justiça Londrina, Palmiotti e Conner se superaram e entregaram um humor melhor do que costumam fazer na revista solo da Arlequina. Uma ótima leitura de banheiro.

Lobo #13 por Cullen Bunn & Frank Barbiere, Robson Rocha & Ethan Van Sciver, Jonathan Glapion e Blond.
Cuba: Acho sensacional essa onda de capas onde o Lobo é parecidíssimo com o Sid Vicious. Que nem um louco atrás de seu passado, a luta contra Hal Jordan e todo o desequilíbrio que a droga em seu sistema está desencadeando, acredito que esse ‘novo’ Lobo pode chegar ao fim em pouco tempo, pois ele começa a parecer, principalmente nesta edição, cada vez mais com o antigo Lobo, calhorda, canastrão e chutador de balde. Depois de perder a mão em Aquaman, Bunn pode ter acertado com o Maioral e, de quebra, ainda temos Van Sciver desenhando Lanterna Verde mais uma vez.

Meia Noite #7 por Steve Orlando, Aco & Hugo Petrus e Romulo Fajardo Jr.
Cuba: Última vez que eu li uma coisa tão bacana com o Prometheus, foi aquela saga com o Arqueiro Verde, que ele pira, a filha do Arsenal morre, Oliver mata o Prometheus e desencadeia uma coisa completamente louca. Acho que essa luta resumiu bem a loucura da personagem, que foi remontada para o DCYou e, no que eu entendo sobre essa loucura, coloca-lo contra o Meia-Noite foi quase que o embate perfeito. Orlando vem montando uma história sensacional, usando todas as características da personagem que vem lá de Stormwatch, ainda me surpreendo com a composição dos quadros que Aco e Petrus entregam a cada edição.

Prez #6 por Mark Russel, Bem Caldwell, Mark Morales e Jeremy Lawson.
Cuba: Prez mandou ver a cada edição, revitalizando e atualizando a antiga revista para os novos tempos. Nunca pensei que leria a história de uma robô transgênero na minha vida, mas Mark Russel conseguiu trazer isso ao mundo e espero que tenha sido tão divertido para ele quanto foi pra mim. A revista chegou ao fim de sua primeira parte, com fechamendo em 12 edições, a metade de Prez já mostra sua qualidade e, esperamos, que ela continue mesmo depois desse 1 ano de publicação que está para chegar. O embate entra as corporações malignas e um governo que se importa com as pessoas acima de tudo é realmente uma coisa linda de se ler.

Jovens Titãs #14 por Scott Lobdell & Will Pfeifer, Noel Rodriguez, Art Thibert, Scott McDaniel e Tony Aviña.
Cuba:  O que aconteceu com esse traço? Anatomia mandou um abraço apertado e prolongado. E não são só os traços, todo o trabalho de paginação e movimento parece deixar o leitor zonzo, perdido nos acontecimentos que são jogados um atrás do outro. Cenário, o que é cenário a não ser degrade no fundo da ação? Tudo é bem abaixo da média nessa edição, uma história esbarrando no fill in e um desenho medonho. A única novidade é a inserção da personagem saída de Doomed, já integrando as fileiras dos Titãs.

Robin War #1 por Tom King e diversos artistas.
Cuba: É surreal ver crianças apanhando da polícia, seja na TV seja nos quadrinhos, a realidade se mescla, principalmente com certos acontecimentos pelo Brasil. Com esse início, a revista mostra o que vai ocasionar a Guerra Robin, a polícia agindo que nem louco atrás de qualquer jovem com item vermelho, o povo criando um pensamento coletivo rechaçando o vigilantismo (de novo) e as Corujas, aparentemente, comandando tudo por trás dos panos.
Esperava mais para uma primeira edição, mas King faz um trabalho na média ao trazer todos os Robins originais para Gotham e reuni-los, enquanto os Robins genéricos se alastram e sofrem com a polícia, tudo parece que vai se conectar em algum momento, só esperamos pra ver quem vai enfrentar quem.

Análise completa escrita por:
Alex Jacket, escritor da coluna O Limite.
Rodrigo Castello, o Cuba, escritor da coluna Primeira Edição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: