Avançar para o conteúdo principal

#DCYou Novembro - Terceira Semana - Análise Completa

É tempo de encerramentos, Bizarro e Doomed chegam ao fim, enquanto Batman começo sua aventura na Europa! Muitas revistas chegam em seu pico, como Senhor Destino, Exército Perdido e Caçador de Marte. Confira a análise completa da terceira semana de novembro!



Action Comics #46 por Greg Pak & Aaron Kuder, Scott Collins e Tomeu Morey & Pete Pantazis.
Cuba: Clark é poderoso de novo, mas agora infectado por Wrath. Pak muda o foco narrativo que vinha apresentando, toda a história com os policiais, mostrando o povo oprimido e tudo o mais, agora chegamos a finalização desse arco, liberando socos a torto e a direito, colocando o vilão para explicar o plano e apresentando um desafio final.

Batman: Europa #1 por Matteo Casali & Brian Azzarello, Giuseppe Camuncoli, Jim Lee e Alex Sinclair.
Cuba: Não sou muito de gostas das coisas do Jim Lee, mas o layout de Camuncoli e as cores de Sinclair formam uma arte ímpar. Sim, é o traço de Lee, mas é Camuncoli quem dá as estruturas, ele faz a magistral composição das páginas e diz onde as coisas tem de estar. Casali e Azzarello dão ao roteiro o que o nome da revista já traz, pois não é apenas o título Europa que mostra algo do antigo mundo, o jeito como a revista se desenvolve traz uma sensação de que você está lendo um quadrinho europeu, mas ainda sim com a essência do americano. Europa acabou de começar mas já cheira a clássico. Surpreendente.

Batman e Robin Eterno #7 por James Tynion IV & Scott Snyder e vários artistas.
Cuba: Acabei me perdendo num momento, mas a página dupla com a narrativa do balé me deixou boquiaberto. O roteiro acaba se afinando, os times estão divididos e Dick não se mostra um líder muito bom. Alvaro Martinez tem um belo traço que casa bastante com a premissa da história, que mostra os vários Bat-sidekicks e suas personalidades. Sombreamento é a coisa que mais se destaca na revista.

Bizarro #6 por Heath Corson, Gustavo Duarte e Pete Pantazis.
Cuba: Encerrando sua minissérie com a participação especial de Tim Sale e Dave Stewart desenhando Superman, o escoteiro se mostra com o um ótimo amigo e, diga-se de passagem, é uma das interpretações mais geniais que eu já vi da interação dos dois 'nêmeses', onde eles não lutam, não são inimigos, mas se entendem muito bem, quase como se Clark fosse um irmão mais velho e atencioso. Corson finaliza magistralmente a mini, trazendo todas as personagens que participaram da série para a conclusão, trazendo um toque de ouro excepcional e deixando a publicação redondinha, com o que foi oferecido, um bom e velho humor bizarro.

Senhor Destino #6 por Paul Levitz & Sonny Liew e Lee Loughridge.
Cuba: Khalid finalmente aceita seu papel com o Elmo de Tut. Levitz leva a narrativa para um rumo totalmente diferente do que parecia direcionado, mudando de um jeito muito bom o roteiro. Ainda recebendo muito bem a cultura egípcia e suas mitologias (admito que, se não tivesse lido os livros do Riordan, não saberia lhufas sobre algumas coisas usadas na revista), deixando uma bela marca cultural no Destino. Uma coisa interessante foi mostrar o amor dos pais de Khalid, coisa que não costuma muito acontecer, dar um destaque especial para pessoas de idade nos quadrinhos, foi algo diferente que alegrou bastante as páginas.

Doomed #6 por Scott Lobdell, Javier Fernandez e Ulisses Arreola.
Cuba: Mais uma que chega em seu final e, apesar de alguns tropeços, essa última edição de Doomed se mostrou muito além das expectativas. Referenciando até a chave gigante que guardava a Fortaleza da Solidão, a participação de Superman faz o novo herói seguir numa boa direção e, assim como dito na última página, ele continuará a aparecer no DCYou, mas agora na revista dos Titãs.

Terra 2: Sociedade #6 por Daniel H. Wilson, Alisson Borges e Alejandro Sanchez & Blond.
Cuba: As viagens temporais não são confusas, mas trazem um certo desconforto na forma como H. Wilson roteiriza sua história. Nessa edição temos a apresentação do Homem Hora, dessa vez, como um vilão a mando do deus-ex Jimmy Olsen. O que é realmente confuso, é o alinhamento de cada personagem, só no último segundo, quando algum é colocado contra o outro, é que você vê quais são os lados da moeda, um quer destruir o mundo pra fazer uma Terra-2 pré-Darkseid, outro quer proteger esse novo mundo.

Lanterna Verde: Exército Perdido #6 por Cullen Bunn, Jesus Saiz
Cuba: Explicações e mudanças! Os Lanternas perdidos estão de volta e , aparentemente, tudo convergiu para essa edição, com uma participação misteriosa de Jordan e várias mudanças na Tropa, Exército Perdido se prova uma união máxima de tudo o que aconteceu em Lanterna Verde nos últimos anos, é inevitável pensar que a revista não vai te levar para uma Crise, mas não como um mega evento, apenas um entre as revistas dos lanternas, em Edge of Oblivion, que começará em janeiro e, bem, pelo nome, podemos esperar muitas mortes. Bunn conseguiu se superar nessa edição, sem falar nos traços e cores de Saiz, que trazem memórias muito boas da Guerra das Luzes.

Arlequina #22 por Amanda Conner & Jimmy Palmiotti, Chad Hardin e Alex Sinclair.
Cuba: Quase que completamente desinteressante, uma típica revista 'entre-arcos', só pra encher linguiça mesmo, porém, Arlequina consegue se mostrar, finalmente, fora do controle do Coringa! Conner e Palmiotti colocaram um belo diálogo entre ela e suas capangas, até mesmo rasgando uma pelúcia do palhaço do crime. Os desenhos de Hardin são muito bons, o 'desleixo' proposital de deixar as linhas de rascunho e arte-finalizar por cima, com as cores de Sinclair, deixam a arte combinando perfeitamente com a revista. Ver os corpos que ele desenha é quase uma lição de anatomia.

Caçador de Marte #6 por Rob Williams, Eddy Barrows, Eber Ferreira e Gabe Eltaeb.
Cuba: A introdução do novo Marciano acaba nessa revista, agora, de aventura pela Terra, teremos uma mudança de ambiente. Além dos avatares de J'onn terem o conhecimento de quem são, o verdadeiro inimigo já é revelado. Williams conseguiu dividir o Marciano em várias personagens cativantes, até mesmo sua parte vilanesca. Barrows se mostra um desenhista nato, suas expressões são maravilhosas, junto da movimentação que consegue passar em cada painel da revista.

Novo Esquadrão Suicida #14 por Sean Ryan, Philippe Briones e Blond.
Cuba: Amanda no campo é uma das coisas mais maneiras que poderia acontecer agora. Apesar da escolha das personagens coincidir com algumas do filme, a mescla faz um bem danado a revista, o clima entre eles fica muito bom de se sustentar, ainda mais com o estilo de escrita de Ryan. A missão ainda não ta clara, mas que estão atrás da Waller, isso estão. A revista serviu pra nos mostrar vilões batendo em sua conhecida 'mandante', o arco ainda está pra iniciar.

Sexteto Secreto #8 por Gail Simone, Dale Eaglesham & Tom Derenick e Jason Wright.
Cuba: Colocar o Etrigan numa roupa de mauricinho? Bacana. Agora, coloca-lo como um piadista dando sorriso por aí? Péssimo... Não consigo entender como a revista ainda continua sendo publicada. Ela ainda coloca toques de Lovecraft, com seres abissais, no roteiro, que vai pra Atlantis. Desculpa, mas não consigo ver uma boa escrita por aqui, provável que seja a pior revista que li desde OMAC.

Telos #2 por Jeff King, Carlo Pagulayan & Igor Vitorino e vários artistas.
Cuba: Se achavam Telos parecido com o Surfista Prateado, essa nova edição dá diversos motivos pra acharem igualzinho Guardiões da Galáxia. Telos quer sua família, ele junta um time de presos com um mascote animal com certas melhorias cibernéticas, estranhamente parecido com algo? Bom, não é só isso o estranho, mesmo começando uma história, dando um pouco do passado de Telos (que foi bem bacana), a revista fica parada, não da nem pra prever o que vem por aí.

Caçada aos Titãs #2 por Dan Abnett, Stephen Segovia e Hi-Fi.
Cuba: Continua sendo muito estranho ver o Alfred sem uma mão. Ainda meio confuso, com as personagens se encontrando e algumas explicações sendo dadas, mas tudo aponta para uma reunião, seja no clichê da luta entre amigos, ou a reunião num ponto isolado, a página final consegue te deixar feliz e lembra os bons tempos dos Titãs. Abnett faz um trabalho comum por enquanto, mas aparentemente, ele está montando uma boa trama. Segovia moderniza os trajes e traz uma bela apresentação com seu traço.

Análise semanal escrita por Rodrigo Castello, o Cuba, redator da coluna Primeira Edição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.