Avançar para o conteúdo principal

Vertigo Comics Novembro - Primeira Semana - Análise

Novembro começa com mais uma estréia da Vertigo, Unfollow é a nova revista de Rob Williams, que vem construindo uma nova cara para o Marciano mais querido da DC Comics. Junto da arte do novato Mike Dowling e cores de Quinton Winter! Veja o que achamos dessa e da segunda edição de Survivor's Club:

Unfollow #1 por Rob Williams, Mike Dowling e Quinton Winter.
Cuba: Assim como uma mensagem no Twitter, no qual a série baseia alguns de seus pontos, eu não vi essa primeira edição passar e logo estava no fim. 140 pessoas são selecionadas para levar uma bolada de dinheiro de um magnata da tecnologia, mas pra isso eles precisam se dirigir a uma ilha para, talvez, provar o seu valor? Os possíveis protagonistas são apresentados, um irmão sem muito o que perder, uma viciada em adrenalina e uma repórter que perdeu a fé na humanidade. Apesar de uma trindade interessante, nada mais nos é apresentado e a revista meio que fica parada nisso, esperando a próxima edição pra continuar com o storytelling e, quem sabe, descobrir algo novo.

Alex: Edição divertidíssima que, diferente de outras séries da Vertigo que tiveram sua recente estreia, não se preocupa em correr ou em fazer um roteiro inicial mais complexo do que precisa. Introduzindo alguns rostos e poucos nomes; Unfollow é um conto que tenta seguir as tendências modernas do social-networking com algumas sensações bens humanas. O roteiro é sólido e pé no chão, e a arte é muito bonita e ousada. A divisão de quadros combina com tudo; e a revista acerta muito em criar uma 'hype' para o que está por vir. Gostei muito.

Survivors' Club #2 por Lauren Beukes/Dale Halvorsen, Ryan Kelly e Eva de La Cruz.
Cuba: Não achei que seria possível ser mais corrido do que a edição anterior, mas estava claramente enganado. Apesar de aumentar a trama com os horrores e investigação que as personagens estão fazendo, o Clube dos Sobreviventes agora tem mais um inimigo além do jogo em si. Ainda é cedo pra criticar, ainda mais uma coisa muito nova e que ainda está se acertando mas, se a revista continuar nesse caminho, ela pode perder alguns leitores desacostumados.

Alex:  Talvez uma das maiores virtudes de Survivors' Club é, também, seu maior problema: o excesso de personagens. Todo mundo aqui é interessante; mas admito que depois da leitura do segundo capítulo, três ou quatro nomes são os que ficam na cabeça... A série estaria muito no começo, talvez? O roteiro de Beukers e Halvorsen ainda não mostra muita coisa da plot em si, ainda estamos dentro de um imenso mistério e esse tal de "jogo", mas o capítulo é interessante e instiga o leitor à continuar. A arte de Ryan Kelly está excepcional; e a revista conta com um estilo de apresentação bem próprio. Estamos naquela parte introdutória da revista, que tem coisas legais e coisas meio batidas; mas em geral, é um bom capítulo que começa a parar a confusão para começar uma caminhada em uma história mais linear.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: