quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O Marvetinho: O ódio da nova trilogia e a compra da Lucasfilm.


Ora, não preciso detalhar ou explicar o ódio que os fãs da saga espacial têm da nova (agora devemos chamá-la de "segunda") trilogia. Muitos se perguntam o que George Lucas estava pensando quando realizou esses três filmes. Antes de tudo já deixo registrada a minha opinião de que eu gosto da segunda trilogia; não pela qualidade dos filmes (que realmente é escassa), mas pela história (que poderia ter sido muito bem aproveitada) e pelo que ela acrescenta à saga. O período das Guerras Clônicas é simplesmente muito rico, e podemos comprovar o fato através das animações Clone Wars e The Clone Wars.

A questão é que, gostos à parte, o potencial das duas trilogias é o mesmo, só que um foi aproveitado e o outro não. Mesmo assim, porém, a riqueza do período permanece. Além disso, foi pela decisão de fazer uma segunda trilogia que Lucas decidiu nomear os filmes de Episódios I a VI. As pessoas podem reclamar o quanto puderem dessa trilogia, mas graças a ela a saga permaneceu completamente viva até hoje, quando estamos ansiosíssimos para O Despertar da Força. Após O Retorno de Jedi várias histórias foram contadas em livros, quadrinhos e jogos, mas todos sabemos (sobretudo hoje em dia) que o que mexe com o público realmente são os filmes, e depois de A Vingança dos Sith os fãs ainda foram presenteados com uma animação que durou seis temporadas, que se passava no período das Guerras Clônicas.

O que eu quero dizer é que a segunda trilogia tem fundamental importância tanto enquanto história a ser contada quanto em relação a manter a saga viva. O amor verdadeiro sempre será em relação à trilogia clássica, mas isso não deve prejudicar o que foi feito depois. O grande problema atual é que a voz que reclama da nova trilogia ecoa cada vez mais, sobretudo porque o público nerd/geek está cada vez aumentando mais, e isso cria - por falta de termo melhor - certas modas. Assim sendo, a Disney comprou a Lucasfilm, e desde então está, de certa forma, alimentando a ideia de que "esqueçamos da segunda trilogia". Obviamente não me refiro ao fato de a terceira trilogia usar os personagens da trilogia clássica (uma vez que esse sempre foi o plano de Lucas), mas a grande parte do merchandise, as HQs publicadas pela Marvel, a animação Rebels, os filmes derivados e todo tipo de pequeno detalhe sumiram com a trilogia dos anos 2000. Isso chega ao ponto de o novo filme não ter "Episódio VII" no título, porque na trilogia clássica não havia essa nomenclatura. Os personagens dessa trilogia só permanecem presentes nas linhas de action figures da Hasbro porque a empresa fabrica todo o tipo de personagem relacionado à saga, até os mais desconhecidos.

Ressaltar a trilogia clássica e tudo o que a envolve é muito bom, mas não devemos nos esquecer das outras coisas que George Lucas fez, pois querendo ou não, ele é o criador da saga. Talvez com essa ideia de filmes derivados a Disney faça um filme no período da República, e assim prove que o problema é a forma como os filmes foram feitos, apenas. Tudo menos um filme solo do Han Solo, por favor.

Por Lucas Giesteira

0 crises:

Enviar um comentário