Avançar para o conteúdo principal

#DCYou Setembro - Segunda Semana - Análise Completa

Mais uma semana cheia de publicações sensasionais (e outras nem tanto...), o DCYou de Setembro continua tendo sua análise completa aqui no Crise! Uma das melhores edições de Batman, o poder humano que Action Comics nos passa, uma nova aventura da Liga Unida e o total descontrole da Mulher Maravilha em Seção! Confira o que achamos da segunda semana de publicações desse mês de setembro!

Batman #44
Alex: Batman #44 NÃO É a continuação da edição anterior - mas sim uma história que, de longe, parece não estar muito relacionado à atual run do homem morcego. Mas está. E como está. Um conto de Gotham - quase tão inacreditável quanto o Batman salvando a sombria cidade. A história é de Scott Snyder e Brian Azzarello; com uma arte INACREDITAVELMENTE LINDA de Jock. A leitura é longa - assim como a revista, com mais de trinta páginas - mas bem agradável. Aumenta ainda mais a expectativa para os acontecimentos da atual saga de Batman. Afinal, o que o Mr. Bloom é? Essa revista é uma das melhores revistas de Batman que eu já li - recente ou não - e serve muito como um capítulo "oneshot" quanto para acrescentar a mitologia da Gotham atual

Action Comics #44
Alex: Os dados são rolados! Vemos a cara e o nome da vilã - uma novata no grupo de supervilões de Metrópolis. A parte introdutória desse novo super em Action Comics acaba aqui; nos ligando direto para os próximos grandes acontecimentos. Com dois artistas igualmente talentosos; a revista mantém uma qualidade visual sólida junto com o roteiro provocante e divertido desse novo superman sem poderes - ou melhor, com OUTROS tipos de poderes. A revista é muito boa e prossegue sendo a melhor edição do Super dentro das outras revistas que ele participa.

Liga da Justiça Unida
Cuba: Acho que a palavra dessa edição é 'mistura'. Um novo time é formado por Zordon, digo, Adam Strange, a ameaça? Uma bola atemporal de guerras, reunindo vários conflitos de diferentes épocas numa bolha de tiros, explosões e máquinas. Vandal Savage se junta a Batgirl, Robotman e mais um pessoal para acabar com essa anomalia temporal. Os artistas mudaram desde a última edição, agora com Paul Pelletier cuidando dos traços e fazendo as lembranças de Liga Dark sumirem.

Capuz Vermelho/Arsenal #4
Alex: A revista foca muito mais no Capuz Vermelho do que no Arsenal - e tem um porque disso. Com um novo Batman na cidade; a dupla está em encrencas tamanhas que acaba precisando de uma revista quase que inteira para conseguir situar o leitor. Esse roteiro mais cheio e um pouco mais confuso acaba colocando uma pausa na sequencial ação que outrora a série estava apostando. Os desenhos estão bonitos; mas o capítulo é meramente isso: serve para colocar o leitor "em dia" com o backstory de um dos personagens.

Estelar #4
Alex: O capítulo continua com o que o último terminou; iniciando a primeira edição focada em cenas de ação da revista da Estelar. Assim como esperado é tudo impressionantemente bem desenhado e engraçadinho. A Kori é uma das personagens mais amáveis da DC; e os detalhes de roteiro a tornam cada vez mais convincente. O capítulo é bem pé no chão e não tem nenhuma grande reviravolta, continua a nos contar a história enquanto, ao mesmo tempo, trabalha com outras plots paralelas. A revista segue bem divertida e a Kori é um ótimo motivo para continuar lendo.

All-Star Sextion 8 #4
Cuba: É a vez da Mulher Maravilha sofrer e, com uma porrada na cabeça, ela simplesmente volta a adolescência(?) mental. Embora totalmente fora da personagem, até mesmo pelo discurso seco e frio que abrem a revista, é muito maluco ler algo assim com a Mulher Maravilha. As personagens discutindo sobre Feminismo é uma parte hiper bem montada, da pra sentir o quão vida real é aquela conversa, pois um dos argumentos ali é usado por muito homem que acha saber do que fala quando quer discutir o assunto e desmerecer a luta. Ennis acertou mais uma vez e continua com a maluquice que nunca entenderemos direito como pode existir.

Terra-2 Sociedade #4
Alex: O foco é em Val-Zod, o Superman de Terra 2, e é algo muito bom. Ele é um dos personagens mais interessantes da atual terra 2, e é legal ver ele sendo mais trabalhado - mas é aquela coisa: mais uma revista para explicar o backstory para aqueles que chegaram agora. Com umas cores e traços muito bonitos, não é exagero dizer que o vai-e-vem do capítulo o torna interessante principalmente pelos visuais. O roteiro é bom e simples de entender, mas mesmo após quatro meses de publicação, a revista não parece que começou a nos contar uma história nova dentro dessa sociedade.

Mulher Gato #44
Alex: A revista volta a sua característica chave em ser um misterioso drama mafioso nos estilos noir. As intrigas da suburbia de Gotham interpretadas pela cidade invertida. Os desenhos seguem como o principal ponto da revista; mas o roteiro confuso torna a edição um pouco cansativa de se ler - mas ainda muito boa. É bem diferente das outras revistas da 'bat-família', mas é igualmente agradável. A reviravolta do fim mostra que a revista sabe para aonde está indo, por mais densa que seja a trama.

Batman/Superman #24
Alex: A colorida edição continua a tensa história que está sempre 'no limite' do Batgordon e Clark Kent. É esquisita a introdução desse... 'Novo' Aquaman, até porque a tensão dele com Clark é um pouco mal trabalhada e forçada. O final, porém, impressiona - nos mostrando que essas quatro edições foram meramente introdutórias par anos acostumar a nova relação entre Gordon e Clark. A adição de violões anteriores à trama vai acrescentar na dinâmica entre as personagens. Só espero que as próximas revistas trabalhem o backstory melhor.

Novo Esquadrão Suicida #12
Cuba: Caminhando para o fim desse arco, todos os membros da Força Tarefa X estão separados e, bem, pensando bem diferente um do outro. Manta acredita nos terroristas, Bumerangue está preso, Arlequina encarcerada com as crianças, Parasita sendo pesquisado, Reverso ao relento e o Pistoleiro aparenta ser o único são do grupo. Enquanto isso, os comandantes por trás de tudo estáo procurando outro jeito de recuperar a missão. O roteiro se mantém, Sean Ryan consegue dar um toque especial para cada um dos Suicidas e a arte de Philippe Briones consegue ser agradável.

Gotham Academy #10
Alex: Realmente: a academia de ensinos de Gotham é um dos lugares mais sombrios de toda a cidade - e falar isso é um pouco assustador ao ver a escala da revista! A história prossegue com o drama/"slice of life"/história de mistério que torna essa uma das revistas mais autênticas da DC You. A revista é bem divertida e tem algo que as outras não trabalham tanto: cenas de ações! Gotham Academy está chegando no final do seu segundo ciclo (que fecha a cada 6 edições) e está agradando bastante. Leitura recomendada.

Harley Quinn Road Trip - Especial - #1
Alex: A revista já começa com duas características que mantém até o fim do especial: sexualização e quebrar a "quarta barreira". A "road trip" que a Arlequina propõem é por causa de uma aparente grande perda. Acho que a grande proposta da revista é bem essa... Mostrar a Arlequina, a Selina e a Hera com pouquíssimas roupas em situações engraçadas e inesperadas. A arte é legal, mas nada muito gritante - e existe mais de um desenhista ao decorrer da revista. Queria tentar defender o roteiro - mas trechos do tipo "do my lips ticke / are your tips pickled" não me faz querer respeitar o que está sendo feito aqui... A revista da poderosa/arlequina e até a revista solo da Arlequina se mostram interessantes e até que bem feitas, enquanto esse especial parece mais um pedido desesperado de vendas do que algo para fãs.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.