Avançar para o conteúdo principal

O Limite: Estamos ficando cada vez mais chatos.



Trocar a capa de Batgirl? Jimmy Olsen negro no seriado da Supergirl - sem dizer no Tocha Humana, negro também, no novo filme do quarteto. Bobby, dos x-men, gay? Mad Max: Fury Road com mulheres fortes? O Thor agora é a Thor? Um grupo de super heroínas? Caramba, acho que estamos ficando cada vez mais chatos.

Entra dia, sai dia; aparece uma nova polêmica. Seja o que for: Sempre tem alguém pra reclamar. Para falar que x e y é politicamente correto. Para apontar que é um "absurdo" que tal personagem ficou negro ou gay ou que agora é uma mulher...

Caramba, estamos ficando cada vez mais chatos.

Estes dias eu olhei para os jogos que eu jogo, os gibis que eu leio... Sabe quantos deles são protagonizados por negros? Por gays? Por mulheres? E não, um negro pobre em situação de inferioridade, uma mulher submissa e fraca e um gay vil e vingativo não contam.

A realidade é clara e simples: Hoje em dia, 2015, ainda não conseguimos representar toda a sociedade na mídia mainstream. Deixamos a minoria marginalizada, por não aceitar que o mundo mudou. Mudanças que podem trazer mais felicidade para contingentes populacionais que outrora sofreram muito são muito legais, mas mesmo assim a maioria é contra. Acha que é mimimi. Acha que é politicagem.

Isso mesmo, acha que fazer uma minoria cada vez mais parte da sociedade é politicagem. Que coisa chata...

Representar de verdade, fazendo a pessoa se sentir melhor ao ler ou ver algo que a represente bem; que não a deteriore. Mas de que adianta, se ao ver um filme tão bom e com uma equidade de gênero visível como Mad Max: Fury Road existem pessoas reclamando que tem muita mulher forte? De que adianta falar que "não tem nada contra gays" mas acha um absurdo quando um personagem fictício se descobre gay? Aonde está o problema em se descobrir gay? Se mais e mais pessoas estão conseguindo se encontrar de verdade; e um quadrinho ou jogo ajudar a pessoa, os mesmos devem ser condenados, por não  representar a maioria?

Abra os olhos. Se o seu personagem favorito de um quadrinho "virou" negro e só por causa disso você não gosta mais dele, você é preconceituoso. literalmente preconceituoso. Se ele se descobriu gay e você não vai tentar ler só por causa disso: você é homofóbico. Simples Assim.

No dicionário: PRECONCEITO s.m. Opinião ou pensamento acerca de algo ou de alguém cujo teor é construído a partir de análises sem fundamentos, sendo preconcebidas sem conhecimento e/ou reflexão; prejulgamento.

Viu? Você julgou sem antes ver. Sem nem conhecer. Não curtiu porque virou algo que você tem preconceito. Algo que você não entende; seja mulheres, gays, negros... Que tal desconstruir isso? Tem tanta coisa legal que você pode conseguir...

Trocando de ponto de vista: Uma capa variante de uma revista; com uma arte excepcional, decide homenagear um vilão. Vilão este que é mal, faz vilania, tipo matar e violar e tudo mais. Daí você bota essa capa variante em uma revista que está, há quase três anos, tentando (e conseguindo, com suas histórias) representar o poder feminino nos quadrinhos. E essa capa variante, em especial, tem a protagonista - que na historia é forte e independente - nos braços do vilão, fragilizadíssima, por algo que esse vilão fez com ela, e não conseguindo reagir. Alusão próxima ao estupro, aonde a vitima é fragilizada e violada mas não tem como se defender. Se você acha "errado" esta capa ser cancelada porque não era nada demais, você é machista. Sim, machista, por não entender que uma revista COM PROPÓSITO DE IGUALAR OS GÊNEROS tem, na capa, uma mulher fragilizada, nos braços de um vilão.

Machismo é chato. Preconceito é chato. Para de ser chato e perceba que deixar a Heroína com menos cara de atriz pornô e com mais cara de super-poderosa (Spiderwoman e Batgirl, estou falando do novo design de vocês!) é legal. Representar as mulheres bem é super legal.

Ainda, mais personagens negros, gays e latinos: Cara, isso é super legal! Se a sociedade é tecida na diversidade, porque os quadrinhos também não podem ser? Você tem que ficar revoltado quando algo bom fica ruim. Isso é motivo de reclamar. Não quando algo fica diferente... Porque diferenças são boas! E representar todo mundo bem é mais legal ainda.

O que pode deixar o filme do Quarteto Fantástico ruim não é o personagem ser negro lá. É o roteiro ser ruim, ou os efeitos, ou as atuações... Um novo roteiro e mudanças legais na roupa da Batgirl é o que a tornou legal de novo, não uma capa com alusão ao estupro. Ter mulheres fortes no filme do Mad Max: Fury Road é uma das MUITAS coisas que fazem o filme ser ótimo - viu, não é porque traz igualdade de gênero que vai ficar ruim.

Então para de ser chato. De achar que "agora que x é negro vai ser uma bosta" ou que "já que o Bobby é gay, x-men vai ficar uma merda" ou que "não tinha nada demais naquela capa de Batgirl". Se uma minoria está se sentindo mal por causa de algo, o legal é mudar. O chato é falar que não é nada demais e ignorar o fato de, ainda, não ter filmes de super heróis protagonizado por negros, gays ou mulheres. Olha que chato achar que isso é nada demais?


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.