Avançar para o conteúdo principal

iZombie S01E04 Liv and let Clive - Análise


EU LUTO KUNG-FU? iZombie permanece como uma interessantíssima e engraçada série ao mesmo tempo que trabalha muito bem a personalidade - ou as diversas personalidades - da protagonista. Confira a resenha do quarto episódio, Liv and Let Clive. Alerta de spoilers!



Depois de cleptomania, psicopatia e devoção à arte; Liv entra de cara na dramaticidade junto a uma série de outros elementos que, juntos a trama da semana, conseguem desenvolver um pouco mais da personalidade dos protagonistas da série.

Clive e Ravi são muito bem trabalhados aqui. O primeiro, não ativamente: Clive fora um dos participantes das visões de Liv. A sacada inteligente do episódio, entretanto, foi deixar essa visão bem unilateral: impossibilitando para nós, telespectadores, o lado do Clive na história.

Ravi, por seu lado, se mostrou mais participativo não só da vida de trabalho de Liv, mas também em seu ciclo social. A expansão da atuação do personagem trouxe, neste episódio, momentos mais divertidos e inesperados para a trama.

Ainda, a narrativa de Liv continua impressionante e divertidíssima, como sempre. Com boas piadas e cheio de ironia e emoção; Rose McIver consegue cada vez mais estar por dentro do papel de Liv.

O episódio fala sobre uma gangue de asiáticos que, no passado, foram alvos de investigações policiais - com Clive e seu parceiro, na época, envolvidos. Por mais que a série ainda utilize o datado modelo "Vilão da Semana", a proposta de ver Liv mudando de personalidade acaba funcionando muito bem com isso. A paranoia e dramaticidade do cérebro da vez transforma qualquer situação em uma terrível ameaça, transformando um caso policial em uma aventura de uma morta viva.

A cena de luta de Liv também foi muito bem feita e inesperada! EU LUTO KUNG FU? A comédia está muito bem posta, em seu devido lugar.

Finalmente; o plano de Blaine fica cada vez mais exposto e trabalhado para o telespectador. É muito bacana ver como ele aparece ao decorrer do episódio - e como um zumbi pode ser, bem, tão sem coração. Os personagens mais importantes são todos muito bem trabalhados; mas é uma pena que o mesmo não possa se dizer da galera secundária (porém recorrente).

O ex-noivo de Liv, Evan, se mostra QUASE que todo episódio como uma personagem chata e opaca... É uma pena. Claro que é bem capaz que eles trabalhem um pouco melhor o personagem; mas é difícil de imaginar um cara como este junto com a Liv - mesmo enquanto ela estava viva.

Nota: 8.5 EU LUTO KUNG-FU?
Acertos: Liv, Clive e Rami. Cada um em sua particularidade, deixando a série cada vez mais agradável. O desenvolver do plano do Blaine
Erros: Alguns personagens mais secundários estão muito mal na série.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: