Avançar para o conteúdo principal

Crise Conversa: O quadrinho de super herói ainda merece respeito?

Os quadrinhos já passaram por muitas reformulações em sua história, gêneros foram criados, alguns esquecidos, mas um dentre todos, se destacou: o super herói. Um dos mais crescentes e que mais possui publicações hoje em dia, geralmente sofre represálias, com pessoas dizendo que esse gênero não é mais uma coisa séria. O Crise se reuniu pra trocar opiniões sobre o assunto e também queremos saber a sua!


Sidarta: Eu devo citar uma história do Superman que lembro... Uma história que o Superman fala de que as pessoas precisam tantos dos heróis quanto os heróis precisam das pessoas, e que se não houvesse heróis em uma realidade as pessoas com certeza encontrariam um modo deles inspirarem as pessoas e dar força pra elas mesmo sem existir realmente. Eu questiono muito o mercado de quadrinhos, um mercado de artes medíocres e histórias sem profundidade que são esquecidas logo depois de lidas. Porque eles transformaram um símbolo de força e esperança para as pessoas em uma fábrica de dinheiro. Eu amo histórias de heróis, histórias que tocam nosso coração e fazem questionar sobre nós mesmos, histórias que fazem a gente sorrir ou chorar e se sentir engrandecido por ter lido aquilo. Por tudo que eu já li e continuo conhecendo com muito esforço eu com certeza digo que amo histórias de heróis e elas merecem todo o reconhecimento do mundo. Ver um filme bom e realmente importante pra você é fácil? A mesma coisa vale para os quadrinhos. É pelas histórias boas que a gente continua procurando.

Ricardo Kyo: É simples: eu gosto da velha história de salvar a princesa dos contos de fada, e as histórias de super heróis nada mais são do que uma visão contemporânea disso tudo. É claro que aos poucos eu fui me aprofundando, conhecendo melhor cada personagem, e toda aquela fantasia se foi, restando apenas a raiz, aquela ideia que lá no fundo só queremos salvar o mundo. Mas a HQ que realmente me pegou de jeito, me mostrando que o mundo não era só rainbow and sunshine foi a morte de Jason Todd pelas mãos do Coringa. Ali eu percebi que o gibi de super herói era humano, e assim como a vida, cruel. Estamos sempre torcendo para o bonzinho vencer no final, não estamos?

Alex: Ah cara, merece respeito sim. Quadrinhos são muuuuuuuito amplos! Se o assunto é super herói, o cunho social de muitas histórias são o foco desde a década de 60/70. Tínhamos aquela série do Green Lantern e Green Arrow que sempre denunciava absurdos ou tinha momentos de reflexão sobre assuntos delicados como desnível social ou imigrantes. Assuntos como homossexualismo e a importância de personagens negros e mulheres dentro de histórias também são coisas que os quadrinhos sempre trouxeram com si. Mas não só no cunho social, considero quadrinho uma "arte" pelo conjunto da obra, entende? tem todo aquele trabalho, aquele apreço... Um roteiro decente, uma arte boa, cores legais... Obvio que, como filmes ou músicas, eventualmente entramos em circulos mais comerciais; mas isso acontece nas outras "artes" também. Gosto de lembrar que quadrinho também não é só super herói. Tem muita coisa que a gente pode encontrar nos quadrinhos que não usa máscara ou capa, a diversidade é imensa.

Rafael: Acredito que o gênero de super heróis é o que sofra maior preconceito, em grande parte talvez pelo enorme material produzido, em que apenas uma parte realmente vale a pena. Ainda assim eu amo este gênero devido a coesão de seu universo, todo os heróis vivem numa mesma realidade (mesmo que em planetas ou até dimensões diferentes), e, mais do que isso, este gênero consegue tornar coeso a existência em um mesmo universo tudo que a imaginação humana consegue criar. Em histórias de super heróis podemos encontrar desde temas mundanos como dramas pessoais (sociais e psicológicos) e questões políticas, até um elementos de ficção científica e fantasia, sendo que muitas vezes todos esses assuntos podem se encontrar em uma mesma narrativa (deixo como exemplo Dr. Estranho e Dr. Destino: Triunfo e Tormento). A possibilidade de mesclar tantas coisas diferentes faz do gênero de super heróis um verdadeiro 'sandbox' para um escritor explorar sua criatividade ao extremo e com isso surpreender o leitor.

E você leitor, qual sua opinião sobre o assunto? Nos diga nos comentários!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.