sábado, 31 de janeiro de 2015

O Limite: Feliz dia do Quadrinho Nacional!

Na ultima sexta-feira (30/1/2014) foi o Dia do Quadrinho nacional, e ano passado trouxe o assunto nesse mesmo dia, falando sobre a nona arte brasileira.  Venho este ano com algo mais extenso. Conheça mais sobre os nomes e as obras dos talentosos quadrinistas brasileiros.


De fenômenos das redes sociais como as Crônicas de Wesley, no facebook, vídeos virais e bem animados do famoso Cinco Alguma Coisa ou das emocionantes e populares histórias de Cueio no canal do Gato Galáctico, na arte 8-bit por trás do famoso (e brasileiro!) jogo Knights of Pen & Paper da brasiliense Behold Studios e em MUITOS outros lugares: o desenho, o roteiro, o jogo e o vídeo nacional estão crescendo e recebendo cada vez mais atenção.



Na ultima sexta feira, dia 30, tivemos o Dia do Quadrinho Nacional. O que esse dia representa, porém, não deveria ser somente o que todo mundo conhece. Por mais atemporais e inspiradoras que sejam as obras dos gigantes Maurício de Souza e Ziraldo,  temos muitos outros que acabam passando

despercebidos e escondidos no fundo das prateleiras das comic shops (quando estão lá) só por não terem o apelo comercial norte americano.

Em 2014 aconteceu a primeira edição da Comic Con Experience. Entre estandes e palestras, tivemos uma lista impressionante de mais de cento e vinte artistas do mundo dos quadrinhos, que trabalharam nas mais diversas áreas e editoras. Mais da metade eram brasileiros e brasileiras dentro dessa indústria; e não pense que o trabalho deles estão em obras pequenas. Eles aparecem em projetos como Vampirella, Nightwing, Aquaman, Liga da Justiça, Hellboy, Batman e por aí vai. Você pode conhecê-los neste link. E mesmo nas obras menores, é tão bom quanto ou ainda melhor: só são pequenas porque são difíceis de encontrar.


Junto com essa postagem que aqui escrevo tem um monte de coisa nacional ou com trabalho de brasileiros em cima do meu colo e espalhadas no quarto para conseguir mais informações e, ao mesmo tempo, mais de trinta abas abertas só pelo assunto, mas devo admitir: é apaixonante. O trabalho dessa galera é demais!


Comecemos pela jovem, descolada, inesperada, criativa e diversificada revista Loki. Formada por uma extensa equipe de jovens artistas, a revista trás uma proposta poética e ilustrativa diferente de tudo no mercado nacional (e, na minha opinião, internacional) com um estilo de distribuição próprio. Não tem como não ficar interessado.

Um dos maiores momentos de 2014 e 2013 foi o projeto Graphic MSP. Principalmente com Astronauta Magnetar, que até contou com uma continuação, desenhado e roteirizado por Danilo Beyruth.


E que tal uma história descontraída e inesperada da carreira de um anão no mundo dos filme pornôs?  O ilustrador brasileiro também conta com sua espetacular arte tanto na Marvel quanto na DC!
Esta é "A Ascensão e a queda de Big Mini" de Artur Fujita.

A única escapatória do cotidiano corrido e estressante, cheio de trabalho e compromisso de uma cidade tão grande como a de São Paulo só pode ser pelos quadrinhos, certo? Essa á história por trás de "Captar", o trabalho dos quadrinistas Camilo Solano e Thobias Danelus. Tá procurando uma fuga dessa realidade exaustiva? Então já sabe! E não esquece de dar uma olhada mais pra frente nesse ano pro novo projeto do Camilo, Desengano. (Olha essa arte! Já quero pra mim!)



E se eu te falar que não é só mídia impressa? A FANTÁSTICA web-comic Open Bar do igualmente fantástico Eduardo Medeiros nos trás a vida de dois amigos, Barba e Leonardo, e o recém inaugurado bar deles. Com um traço redondinho e bonitinho, temos a trajetória de uma amizade. Pena que ainda tem tanta pouca coisa! Você vai implorar por mais assim que terminar a ultima página.



Não tem como falar de quadrinhos nacionais sem falar dos gênios gêmeos paulistas: Fábio Moon e Gabriel Bá. Os caras trabalharam com Gerard Way em Umbrella Academy; levaram Daytripper, sob o selo vertigo, para o topo de vendas do New York Times (e de quebra receberam um Eisner, um Harvey e um Eagle. !!!). Daytripper é uma das melhores revistas que eu já li e se você nunca leu, termina a matéria e trata de comprar uma cópia.


Um ser místico vive no meio de uma escondida cidade do estado do Rio de Janeiro. A mística natureza desse ser traz o interesse de Társio, que com uma falta de coragem acaba entrando em uma aventura arcana. O quão demais parece isso? É o quadrinho Mitologias de Luiz Augusto de Souza. Com uma impressionante arte e misteriosa história; qualquer fã de quadrinhos deveria conhecer esse impressionante trabalho.


Já comentei deles ano passado, mas eles merecem estar aqui de novo. A fofíssima arte e profunda Quadrinhos a 2 são para conquistar qualquer um. Nada mais é do que uma autobiográfica e mágica aventura de um casal que teve estréia de sua quarta temporada ano passado. Por trás do projeto está o casal Cristina Eiko e Paulo Crumbim (que foram muito simpáticos comigo quando fui pegar um autografo na comic con xp!)




E que tal um drama protagonizado por uma inesperada gravidez que, além de pegar todos de surpresa, mudou o rumo de muita gente? Sabor Brasilis é o quadrinho que trás essa pegada de novela com uma arte detalhada e diferente. Por trás do projeto está o talentoso Pablo Casado - outro que, além de talentoso, é muito simpático.



O nordeste brasileiro retratado em quadrinhos, de uma forma muito, muito única. Seca, de Raul Muradi, estreou ano passado no FIQ e impressiona com sua arte e sua forte narrativa que jorra sangue. Você pode conhecer mais do quadrinista na página do facebook dele.


Outro que já conquistou muito espaço no meio dos quadrinhos é Vitor Cafaggi. Criador da emocionante história do cão Valente (que é um enorme sucesso de vendas), também participou do nostálgico e brilhante Turma da Mônica - Laços, ao lado de sua irmã, Lu Cafaggi.



Então, meus amigos, se vocês entraram em uma comic shop e não foi atrás do setor de quadrinhos brasileiros, você está perdendo MUITA coisa interessante. É impossível eu tratar de todos quadrinistas brasileiros, o que eu trouxe aqui é irrisório. A produção nacional é crescente, apaixonante e de uma qualidade ímpar. Quadrinho não é só super herói, não é só norte americano.

Infelizmente termino esse artigo na madrugada do dia 31, um dia após o Dia do Quadrinho Nacional. Mas grito com todos vocês: continuem nisso, está cada vez melhor. Para todos os outros não mencionados, peço desculpas; mas não se preocupem: são igualmente importantes para a cultura brasileira.

Feliz dia do quadrinho nacional, esta é uma homenagem minha e do Crise Comics para toda essa galera.

0 crises:

Enviar um comentário