Avançar para o conteúdo principal

Arrow S03E08 The Brave and the Bold


O vermelho faz toda diferença. Finalizando a participação entre as séries da CW; The Brave and the Bold trás a melhor parte do crossover. Com muita ação e frase de efeito; Arrow mostra que as coisas podem mudar em um flash. Veja o que achamos do episódio aqui; mas cuidado com os spoilers!

Arrow está com um estranho gosto de drama adolescente. Porém, Uma participação do velocista escarlate mudou tudo. Parece que a temporada só começou agora, no oitavo episódio.

Retornamos ao clássico "misterioso assassino". O episódio parece prometer a mesma coisa que um regular episódio da temporada, até que o Flash aparece. Não tem como negar: o ar de Barry e seus amigos é muito diferente, e traz um tom mais... vermelho! para a Arrow. Cisco manda muito bem fazendo as piadas com "arrow cave" e "arrow mobile"; nada como deixar os fãs aguçados.

Temos um episódio que pode ser muito bem caracterizado como um thriller policial cheio de frases de efeito. Lendo assim, parece que é a mesma coisa do resto da temporada; porém, a aparição de Barry Allen abre discussões interessantes na trama. Um dos diálogos mais impressionantes fora o de Barry
para Oliver após ele torturar um homem. A discussão é orgânica, parece que poderia acontecer nos quadrinhos. Em momentos durante o episódio, dá pra sentir que um crossover de séries de super heróis deve ser assim: uma mistura balanceada de ambas as séries.

Um vilão clássico dos quadrinhos - Capitão Bumerangue - está muito estiloso no episódio, com certeza. Admito que fiquei receoso quando o anunciaram, mas o cara está com uma ira vingativa daquelas. Ele aparece com um objetivo: de matar a esposa do Diggle. A caçada é intensa e faz o guarda-costas de Oliver aparecer um pouco - algo que não tinha acontecido no decorrer da temporada.

Reina uma batalha para tentar manter o interesse do telespectador o tempo todo. Os diálogos de Oliver e Barry constroem algo que não tinha antes na TV: parece que o mundo dos seriados é conectado. Ainda assim, Arrow - e quase tudo do CW - ainda aposta em um roteiro sem muita expectativa. A esposa de Diggle na realidade não morreu, foi só pra deixar o episódio interessante. A personalidade de Diggle poderia mudar muito com a morte dela e isso acarretaria no crescimento do personagem. Bem, não foi dessa vez.

Também deve ser notado como todo mundo sabe qual é o esconderijo de Oliver. Sério, cara, com tanta equipe e um pessoa tão bem treinado, como todo mundo consegue entrar aí? Nyssa, Slade, Bumerangue... Meu Deus!

O episódio é gostoso de se assistir. Grant Gustin manda muito bem como Flash, ao mesmo tempo em que Arrow precisava de um ar novo para conseguir trazer de volta aquilo que sentimos na segunda temporada. Porém, os problemas ainda estão aqui. Não espere ver um Roy menos robótico ou um Diggle mais falativo.


Nota: 8.5 O vermelho faz toda diferença. Oliver e Barry finalizam seus assuntos em aberto num divertido e emocionante episódio, com diálogos marcantes e momentos memoráveis.
Acertos: Grant Gustin como Flash! O episódio trás boas discussões sobre o Arqueiro - tanto para os telespectadores quanto para o próprio personagem.
Erros: O roteiro não aposta em coisas novas, o começo do episódio é fraco, os Flashbacks são um pouco passáveis.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.