Avançar para o conteúdo principal

Review: Gotham Academy #1

Becky Cloonan escreve ao lado de Brenden Fletcher e com a arte de Karl Kerschl uma nova HQ que chegou às bancas americanas nas últimas semanas. Trata-se de Gotham Academy, uma empreitada diferente do que estamos acostumados no mundo do Batman, mas que possui ao mesmo tempo uma pegada adolescente com toques de suspense.
Não é uma grande primeira edição, mas até que prende por algumas páginas.
Vamos ver os motivos:

É sempre interessante quando saímos daquela velha história de "tem um vilão em Gotham e o Batman vai descer o cacete nele". Usando a premissa de que o Cavaleiro Das Trevas é algo presente, mas distante na vida de muitas pessoas, Gotham Academy introduz a sua protagonista: Olive Silverlock, uma adolescente assombrada por algo que ocorreu no ano passado que obviamente envolve Batman e o seu símbolo tão famoso. A garota, que se sente uma estranha no ninho, acabou de terminar um relacionamento, mas se vê obrigada a conviver com isso, pois a irmãzinha de seu ex-namorado é colocada como sua protegida na escola com o nome da cidade.

A narrativa começa muito semelhante a estrutura de um mangá, com a protagonista explicando os seus sentimentos via balões em "off". Noto que é uma oportunidade jogada fora, pois muito disso poderia ser apresentada com cenas ou reações de Olive, mas Becky e Brenden optaram por um caminho mais genérico. Os relacionamentos apresentados são interessantes e o que mais me prenderam durante as páginas, mas ainda assim senti uma falta de maturidade no texto que não me empolgou. É claro que o foco é mostrar uma história adolescente com os seus encontros e desencontros, mas ainda assim acho que podia ser algo mais profundo.

Já a arte é linda. Adoro essa saída do mundo de "temos que fazer o mais igual possível da vida real" para algo mais cartunesco. As feições das personagens estão brilhantes, cada vez que Maps (a nova amiguinha de Olive) faz uma careta, podemos sentir o sorriso do artista em cada traço. Com certeza dando o grande destaque para a HQ. Vale lembrar que Becky Cloonan fez uma capa variante um milhão de vezes mais bacana do que a capa oficial de Gotham Academy. Linda demais.

No geral, o texto "teen" da HQ faz com que ela seja menos interessante para os fãs mais acostumados com Batman e cia., mas uma galera mais nova nesse mundo pode acabar curtindo. Acredito que as personagens possui potencial para uma evolução, mas faltou uma apresentação mais interessante para pelo menos lembrarmos dos nomes deles, pois admito que mesmo depois de ler duas vezes a HQ, eu ainda não decorei o nome de mais ninguém.

Gotham Academy não é memorável, tem muito o que trabalhar, mas não deixa de ser uma lida gostosa para dar aquele ar fresco às suas leituras semanais.

Nota: 5,0
Acertos: Oferecer um ambiente novo e aquele traço lindão
Erros: Teor muito adolescente, com poucas reviravoltas interessantes

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: