Avançar para o conteúdo principal

The Flash S01E03 - Things You Can't Outrun

Não é como se eu quisesse um museu construído pra mim. Referências logo de cara, um vilão tirado das páginas de Starman e uma maior exploração do acidente nos Laboratórios STAR marcam o episódio, incluindo a participação de Ronnie Raymond, o Nuclear, com vários flashbacks, quase ao estilo de Arrow. Cuidado com os spoilers.



Com grandes easter eggs logo de cara, envolvendo o Museu Flash e dois usos do número 52, a montagem do Universo DC já consegue deixar belas marcas em suas séries. Detalhes do Demônio Azul aparecem mais uma vez num cinema como Blue Devil II: Hell to Pay, junto de outro filme: The Rita Farr Story. Rita é conhecida por ser uma atriz hollywoodiana que, durante filmagens para um novo filme na Africa, acaba sendo exposta a gases vulcanicos que a transformam na Mulher Elástica, membro fundador da Patrulha do Destino.

Uma das referências que ligam ainda mais as séries é o Big Belly Burguer, uma rede de lanchonetes que, aparentemente, todos que são ligados a heróis, conhecem. No quadrinho, a empresa é uma subsidiária da Lexcorp, com sede em Coast City, o morada do Lanterna Verde.


A introdução de Ronnie acontece aos poucos, com flashbacks espalhados pelo episódio, mostrando seu relacionamento com as outras personagens, incluindo sua noiva, Caitlin. Sua morte acontece dentro do próprio acelerador de partículas, já começando a estabelecer uma origem para o Nuclear.


A Prisão Ironheights, conhecida por abrigar os vilões do Flash e vários do Unieverso DC é uma aparição constante na série, porém, é uma prisão de segurança máxima voltada para humanos. A ideia de começar a prender os meta-humanos capturados, já que não se pode matar todos os vilões a cada episódio, surge dentro dos Laboratórios, que transformam o acelerador em um esquema de celas customizáveis para cada tipo de poder.

O primeiro prisioneiro é Kyle Nimbus, um homem que, durante a explosão que deu poderes ao Flash e a meio mundo, estava recebendo sua dose de gás letal pelos crimes cometidos, logo, o resultado dessa fusão de acontecimentos o permite transformar seu corpo em gás venenoso. Nos quadrinhos, o nome já foi usado por duas pessoas, pai e filho chamados Kyle, e também já foi conhecido por Nimbus.


Com seu espaço garantido a cada episódio, o antigo ator que interpretava Barry, John Wesley Shipp, protagoniza uma cena que pode até ser chamada de 'O Flash de Dois Mundos', por alguns fãs, onde Flash salva o detetive West enquanto seu pai está do outro lado do vidro, na prisão. Além disso, a cena traz um detalhe muito bom no desenvolvimento do personagem. Ao ser incarado pelo próprio pai, que conhece mais do que ninguém seu rosto, Barry vibra sua cabeça para que não seja reconhecido, já que para pessoas conhecidas, o tipo de máscara pode não adiantar em nada. Podemos ver esse erro em Arrow constantemente, usando tinta verde ao redor dos olhos como distração, até que o próprio Barry faz uma máscara para Oliver que, convenhamos, não adianta muita coisa.


A personagem que mais se destacou no episódio foi Eddie Thawne que consegue se colocar em situações engraçadas no decorrer da trama, tornando o humor uma coisa natural do papel, muito diferente do detetive Allen, em Gotham (pra que usar nome conhecido?).

Uma coisa que vem marcando a série são suas cenas finais, sempre envolvendo o Doutor Wells e seus segredos. Nesse terceiro episódio fica quase impossível não achar que ele não é o Professor Zoom.

Assim como o Arqueiro Verde é conhecido apenas por Arrow em seu seriado homônimo, o Flash também consegue um nome diferente até ser o herói completo, Streak, ou o Raio, é como a mídia e as pessoas se referem ao Velocista Escarlate até que, como Dr. Wells diz, ele ser conhecido como Flash.

Nota 9,5 Com infinitas referências e um humor bem colocado, The Flash continua a representar muito bem o herói de Central City, mostrando a cada episódio a construção de seus ideais e tentando solucionar, agora com ajuda, o assassinato de sua mãe.
Acertos: Easter eggs, Thawne, Henry Allen.
Erros: O momento da morte de Ronnie poderia ter sido mais explorado.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.