Avançar para o conteúdo principal

Invasão - Por onde começar a ler X-Men


O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.


Apesar de ser um ótimo título(s), começar a ler X-Men não é exatamente fácil depois do que fizeram com o grupo nos anos 90. Nessa época os roteiristas eram pagos por números de personagens inclusos por título, o que fez surgir vários mutantes bucha, genéricos e até repetidos, como o caso da Jubileu e da Dinamite, duas meninas meio loucas que soltam explosivos pelas mãos. Como se não fosse o bastante, é uma fase cheia de histórias do Rob Liefeld e com várias viagens temporais e realidades alternativas que desafiavam até os leitores mais velhacos a não se perderem na cronologia das histórias.

“É, então, já vou parar de ler por aqui, porque X-Men não vale a pena”.

Tira a areia da calcinha e se acalma, porque ainda assim o título apresenta muito mais qualidades do que defeitos. E, se até agora eu não te convenci a ler nada da Marvel, os X-Men podem ser o título que mude isso, afinal, um amigo daqui do blog, um DCneco aí, uma vez me disse que para ele os X-Men são tão bons que nem parecem da Marvel. Repito, isso vindo de um DCneco!!!

“Beleza, beleza. Mas por onde começar a ler, p%$#@?”

Existem alguns clássicos, como a fase do roteirista Chris Claremont, que escreveu arcos que foram referência para o mundo dos super-heróis, como Dias de um Futuro Esquecido, a Saga da Fênix Negra e o Massacre de Mutantes.

Tudo isso é muito legal, mas é pré anos 90 e se o leitor quiser seguir a cronologia a partir daí fica foda. Por isso, vou falar sobre uma saga recente e que dá um panorama geral sobre o que se passava com a equipe mutante pós anos 2000: Complexo de Messias.

Os X-Men enfrentam uma de suas fases mais difíceis, uma das mutantes mais poderosas do mundo, a Feiticeira Escarlate, não satisfeita em atacar seus amigos Vingadores (na saga Vingadores: A Queda), decidiu acabar praticamente com toda a raça mutante do planeta usando apenas três palavras, “No more mutantes” (chega de mutantes), na saga Dinastia M. Agora os mutantes são uma raça em extinção e nunca estiveram tão vulneráveis neste mundo que os teme e odeia.

A história tem início com o professor Xavier utilizando o aparelho conhecido como CéLebro, que o permite detectar todos os mutantes no planeta, atrás de algum novo mutante que poderia surgir. Ele demonstra seu pessimismo conversando com Fera e como suas esperanças de encontrar um novo mutante haviam desaparecido. Isso até ele detectar uma presença tão poderosa que destrói o Célebro, um novo mutante havia nascido.

Imediatamente, Ciclope, líder dos X-Men, reúne um time para verificar o local onde nasceu este mutante.
Ao chegar lá, eles se deparam com uma cidade totalmente arrasada e já começam a se preocupar com a reação pública caso tal destruição tenha sido causada pela manifestação dos poderes desse novo mutante. Porém, ao andar pela cidade e resgatar sobreviventes, Wolverine alerta Ciclope sobre como o cenário não é de um acidente, mas sim de uma batalha. Eles, então, reconhecem alguns corpos estirados ao chão como sendo de membros de dois grupos: os Purificadores, um grupo de fanáticos religiosos racistas dedicados ao extermínio da raça mutante; e os Carrascos, grupo de mercenários que serve como exército pessoal do cientista e vilão Senhor Sinistro.

Ambos também haviam detectado o novo mutante e, enquanto os Purificadores desejavam eliminá-lo, o que os levou a matar por garantia todos os bebês da cidade, os Carrascos iriam capturá-lo para que Sinistro o usasse em suas experiências imorais, o que os levou a entrar em conflito.

Tendo em mente a importância que este novo mutante parece ter para tantos grupos distinto, Ciclope despacha uma equipe para perseguir os Carrascos e descobrir se eles pegaram a criança. Ele também contata o grupo mutante de aluguel X-Factor para usar um de seus membros, Rictor, um mutante que perdeu seus poderes para a Feiticeira Escarlate, para se infiltrar no grupo dos Purificadores, uma vez que bater de frente com uma entidade religiosa não pega bem. Além, disso ele também pede a Jamie Madrox, o Homem Múltiplo, para que envie um de seus clones, derivados de seu dom mutante, para cada um dos dois futuros possíveis que emergem da situação atual, um em que a vaca foi pro brejo e um em que tudo está bem.

Assim, seguimos os passos do clone de Madrox, e Layla Miller que acaba indo com ele de última hora, que vão para o futuro onde está tudo fudido. Lá nos deparamos com um cenário muito parecido com aquele visto em Dias de um Futuro Esquecido, onde os mutantes foram caçados e aprisionados em campos de concentração. Lá eles conhecem o jovem Lucas, que viria a se tornar Bishop, um X-Men do futuro que veio para o presente, e ele revela que a situação que eles vêem foi causada por um mutante. De volta ao presente, o Bishop crescido acredita que o mutante que causou o futuro de onde veio é este que acaba de nascer e, sem com que os demais X-Men tomem conhecimento, ele faz o possível para matá-lo.

Com este panorama inicial da saga já dá para perceber o quão complexo é o enredo dos títulos dos X-Men, mas nada que não seja possível de acompanhar.

Como nesta história são reunidos vários grupos diferentes, é possível para o leitor iniciante começar a se familiarizar mais com vários personagens e posteriormente até escolher qual deles mais gostou para seguir sua revista.

Sem dúvida o personagem mais interessante dessa história é o Ciclope. Eu acompanho suas histórias desde o início dos anos 80 e nunca fui com a cara dele, mas nesse arco ele para de ser “o líder que os X-Men merecem, mas sim, o líder que os X-Men precisam” e com isso se mostra disposto a vários atos questionáveis. Num determinado momento, Jaime Madrox recebe as informações sobre seu clone que está no futuro com Layla Miller, o perigo que correm e pede a Ciclope que envie um grupo para resgatar a garota. Ciclope apenas diz que tem prioridades mais urgentes no momento e, quando Madrox se recusa a ficar quieto, ele simplesmente o nocauteia com um soco.

Essa atitude é percebida com preocupação por Charles Xavier que demonstra sua discordância em relação aos métodos empregados por seu ex-aluno. Ciclope manda ele a merda também, fala que Xavier também tem sua dose pessoal de pecados e segredos (como a morte de um grupo de X-Men nunca revelada e o fato de ele ter manipulado mentalmente muitos X-Men, fatos esses revelados em histórias anteriores) e o expulsa da escola.

Em determinado momento, Ciclope descobre que quem ficou com a criança é seu filho que veio do futuro e mutante renegado, Cable. Não tendo confiança nas ações de seu filho, Ciclope reúne em segredo os melhores farejadores e assassinos de seus X-Men para caçá-lo, formando assim o grupo X-Force. Este é o melhor grupo mutante da Marvel e as histórias dele que seguem a saga Complexo de Messias foi o título que mais importante para o panorama geral dos X-Men e fecha alguns pontos deixados soltos pela saga, como os planos dos Purificadores. Isso para não falar no nível de violência de suas revistas muito acima do normal para as HQs de super heróis. Eu voltarei a falar desse grupo em breve.

Os X-Men merecem algumas considerações finais, afinal muitas de suas histórias superam a média graças a seus personagens que demonstram uma clara evolução ao longo do tempo. Este é o caso de Vampira, cujas histórias em geral sempre giraram em tordo de como seus poderes a atrapalham e como ela não consegue se livrar das memórias daqueles que a tocaram (literalmente), mas que nessa saga ela supera esses problemas, o que dá uma renovada na personagem. Além disso, esse é um ótimo título para as garotas, que muitas vezes não se vêem representadas nas HQs, já que os X-Men possuem várias personagens femininas fortes e que não saem dando porrada por aí de maiô – tem algumas que fazem isso, mas muitas que não (tem até uma que usa burca), e é interessante que isso em geral se mostra relacionado a personalidade de cada uma (afinal algumas mulheres tem um estilo que mostra mais a pele do que outras).

Eu ia tentar nomear todos os personagens da figura abaixo para ajudar o leitor a identificá-los mais facilmente, mas ela é uma suruba tão grande que eu desencanei. Quer descobrir quem são, se vira!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.