Avançar para o conteúdo principal

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Com a verdadeira trama da série ainda trancada a sete chaves, "Constantine" pode vir a impressionar qualquer um, mas mesmo no trailer podemos ver que a série está sendo baseada em Hellblazer. Mas, afinal, o que é "Hellblazer"?

Depois da primeira aparição de um tal de "John Constantine" em Monstro do Pântano - na época, escrito por Alan Moore - o personagem ganhou um sucesso quase que imediato. Não foi por menos: logo depois, John ganha sua revista aonde ele é o protagonista. "Hellblazer" é uma revista originalmente do selo "DC Comics" e mais pra frente sendo incorporada ao selo "Vertigo".

Hellblazer já passou por muitos escritores, então dividimos o mesmo em "eras". Irei, aqui, explicitar a proposta do personagem para sua futura adaptação à TV.

Época de James Delano (#1 ao #40 de Hellblazer) No Brasil: Hellblazer Origens #1 ao #7, pela Panini.
Aqui encontramos cinco grande histórias, entre elas as que constroem a história básica do personagem e mostra sua origem e a origem de seus poderes.
Dos grandes arcos, vale ressaltar o Pecado Original, Newcastle, Máquina do Medo e Homem de Família - este último que também tem aparições em Sandman, de Neil Gaiman.
Além das grandes sagas, entre elas, encontramos alguns capítulos que simplesmente expandem a mitologia de John, e estes não são todos escritos por Jame Delano. É interessante ressaltar o capítulo 27, considerado por muitos o melhor de todos os 300, chamado "Me Abrace"
 

Época de Garth Ennis (#41 ao #83) -> De Paul Jenkins (#89 ao #128) -> Garth Ennis (#129 ao 146) No Brasil: A época de Garth Ennis acabou de ser iniciada em território nacional, em Hellblazer Infernal #1. Espera-se um numero de encadernados mais elevado que cubra tudo até o fim de sua era, no capítulo 129.

Por mais que Delano tenha feito toda a origem de Constantine, com certeza foi Garth Ennis que o popularizou. Ficando na revista por quase dez anos, Garth começa sua estadia em Constantine com o que consideram ser uma dos melhores arcos do anti-herói britânico.
Entramos, no capítulo 41 ao 46, na saga dos "Hábitos Perigosos"; que inspirou mais para frente na criação do filme "Constantine" protagonizado por Keanu Reeves.
Ainda na era do Garth, vale ressaltar o "Medo e Repugnância" (ainda não publicado no Brasil) que se dá nos capítulos 62 à 67, que cria a amizade de longa data de John Constantine com Zatanna.
Em "Bagunça Crítica" (#91 ~ #96) encontramos Constantine em seu pior estado.
A era de Garth também conta com o capítulo especial de 10 anos de série, engraçado e inusitado. Não vou falar nada dele para não estragar a magia de quando for lido, mas para os curiosos, é no #120.


Depois de Garth e Paul, temos Warren Ellis, que passa bem rápido pela história mais deixa sua marca em "Caçado" (#134 ~ #139). Com uma trama bem diferenciada, encontramos um John um pouco mais "mulherengo" - característica que virou excepcional de John.

Agora entramos na parte que é, pessoalmente, minha segunda favorita (logo após do Delano)

Brian Azzarello (#146 à #174) No Brasil: existem encadernados "aleatórios" contendo seu momento dentro da série que está sendo vendido no Brasil (ou foi vendido, quem sabe?)
Brian é maluco.
Isso é o que você precisa entender antes de iniciar a ler sua época dentro da revista Hellblazer. John viaja para os Estados Unidos e participa de uma, digamos, caminhada por todo o território. Com temas sociais interessantes - como neo-nazismo, racismo, homofobia, minorias da sociedade, feminismo e etc - encontramos uma revista cheia de críticas a sociedade americana e inglesa. Por mais que muitos reclamem da "desbritificação" de John, ele continua com sua forte personalidade.
Um dos melhores arcos dentro da era de Brian é o "Cinzas e Poeira na Cidade dos Anjos" (#170 à
#174), quando John para em Los Angeles e descobre o seu lado mais sombrio. É impressionante e tem um dos melhores desfechos que eu já li em um quadrinho.

Depois de Brian, quem entra é Mike Carey (#175 à #215) e é considerado por muitos (eu incluso!) um dos piores momentos de Hellblazer. Claro, a série continua e tem seus momentos bons como em "Três portas foram abertas". O período de Mike na revista é regrado por controvérsias e um cenário "sombrio" da época (2002 à 2006) e temos um Hellblazer mais... Pop. Aqui, na minha opinião, é quando a série tem sua primeira recaída... :(

Mike Carey marcou hellblazer, e a dificuldade de fazer a série continuar foi tamanha que culminou no início do fim. Daqui pra frente, Hellblazer é dividido em três grandes escritores, mas todos tem um estilo bem próximo então não é errado pensar que tudo é uma "era só".

Danise Mina (#216 à #228) Andy Diggle (#230 à #249) e Peter Milligan (#250 ao #300 - o último capítulo)
O grande momento de Danise, Andy e Peter representam para Constantine o seu final. Desde 2006 a série já tinha a característica fúnebre de estar chegando em seu fim, que chegou em 2013. Durante estes sete anos, vemos de pouco a pouco John resolvendo os pontos em aberto e arrumando tudo o que deve arrumar, deixando as coisas em ordem e colocando seus pontos finais.
John também volta a Europa e a trama dentre os três últimos autores é um triste porém inevitável adeus.
Por mais que muitos não quisessem acreditar, a notícia chegou: Hellblazer seria cancelado em sua edição de número #300 e iniciando assim, ainda em 2013, sua revista nova: Constantine, dos Novos 52. É infeliz perceber isso, mas com isso, tudo anteriormente fora... "esquecido"; assim possamos dizer. Agora, John voltou as suas raízes: para o Universo DC, não o Universo Vertigo. Ainda: John participa de um "super grupo" e os lidera; é a chamada Liga da Justiça Sombria, que na sua edição #0, conta um pouco sobre a "nova" origem de John...

Hellblazer foi o palco para muito início de carreira e aqueles que trabalharam dentro da série não foram poucos.
Alan Moore nem precisa de introduções, mas trabalhou com Watchmen e V de Vingança. Jamie Delano  com Homem Animal, Lovecraft e Mundo sem Fim. Garth Ennis escreveu Preacher, A Autoridade. Brian Azzarello escreveu 100 Balas e é o atual escritor de Mulher Maravilha.

Sem dizer nos muitos desenhistas também, a série contou com o melhor da indústria. Esperamos todos que a série seja coerente com toda esse histórico e consiga representá-lo bem.

ORDEM DE LEITURA
No Brasil: Recomendo a leitura da série Hellblazer Origens (#1 ao #7) e de Hellblazer Infernal (que começou agora) e ir seguindo. É a primeira vez no Brasil que Hellblazer está saindo em ordem cronológica.
Pra quem quer importar ou comprar digital (nomes em inglês)
Original Sins 
The Devil you Know
The Fear Machine
The Family Men
Rare Cuts
Dangerous Habits
Bloodlines
Fear and Loathing
Tainted Love
Damnation's Flame
Rake at the Gates of Hell
Son of Man
Haunted
Setting Sun
Hard Time
Good Intentions
Freezes Over
Highwater
*Lady Constantine
Red Spulchre
Black Flowers
Staring at the Wall
Stations of the Cross
Reasons to be Cheerfull
The Gift
Empathy is the Enemy
The Red Right Hand
Joyride
The Laughin Magician
Roots of Coincidence
Scab
Hooked
India
**
***

* Lady Constantine não faz parte de Hellblazer mas é bem legal ler!
**Ainda não existem encadernados até o capítulo #300. Dos da lista, vale MUITO a pena ler os em negrito, que também foram mencionados no post.
*** Todos os encadernados estão abertos para encomenda no site da Amazon ou o The Book Depository, e alguns já saíram no Brasil. Temos, dentro da série "Origens" e "Infernal" até o encadernado "Dangerous Habits" publicado no Brasil recentemente. VAMOS LER!





Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.