Avançar para o conteúdo principal

Entrevista exclusiva com Paula Annunciato; Cosplayer brasileira de quadrinhos e mangás!

O Brasil sempre foi um lugar onde cosplay fez muito sucesso. Entre muitos dos maiores nomes deste meio, encontramos Paula Annunciato Fabris. Neurocirurgiã de profissão e cosplayer por hobby, mostra que os quadrinhos passaram a ser parte importante de seu dia a dia. Paula já se vestiu de grandes personagens, tal como Espectral e até mesmo Promethea. Confira a entrevista exclusiva que Paula fez com o crise e conheça mais sobre sua história.



CRISE: Primeiramente; olá Paula! É um prazer imenso você ter aceito responder umas perguntas aqui pro Crise!

Paula: Olá a todos! O prazer é todo meu! Vamos lá! 

CRISE: Então vamos desde o início. Que você é uma cosplayer famosa por sua humildade e simpatia todo mundo sabe, mas afinal, desde quando você faz cosplays? 

Paula:  Obrigada pela humildade e simpatia! Nem sabia que era conhecida por isso (risos). Sou cosplayer desde 1998, na época dos primeiros eventos de anime. Estreei com o cosplay da Mestra Genkai, do anime Yu Yu Hakusho. 

CRISE: Então faz um bom tempo, né?! E de todos os que você fez, quais foram os baseados em quadrinhos
da DC/Vertigo/Wildstorm?

Paula:  Tem vários de DC/Wildstorm! Lady Porta (de “Lugar Nenhum”, baseado no livro do Neil Gaiman), Espectral II (Watchmen- versão da HQ), Bill - da HQ Promethea (da ABC Comics, comprada pela Wildstorm), Cobweb (também da ABC comics), e, recentemente, a Madame Xanadu, da DC comics.

CRISE: E o mais recente que você fez dessa lista foi o da Madame Xanadu, correto? 

Paula: Corretíssimo! Estreei-a na Fest Comix 2014!

CRISE: Então você é bem fã de quadrinhos, e isso é bem legal. De todos esses cosplays de quadrinhos, qual foi o que você mais gostou? E qual foi o que a galera mais reconheceu?

Paula: Difícil dizer qual o meu predileto. Mas, se tiver de escolher um, escolho a Bill, de “Promethea”: personagem bacana e visual lindo! Levei até um susto com o resultado final: parecia, realmente, que a personagem tinha “pulado”das páginas da HQ.
Quanto a reconhecer, com certeza, foi a Espectral. O restante, é bem “underground” e só quem leu as HQs sabe quem são.

CRISE: Com certeza, a “Bill” te caiu SUPER bem. Mas fazer cosplay, pelo menos no Brasil, é automaticamente relacionado com desenhos japoneses ou jogos. Mesmo assim, você sempre fez cosplays dos quadrinhos norte-americanos. O que te incentivou a isso? E desde quando você é fã dos quadrinhos?

Paula: Antes, era mais fã de animes, mas tinha um ou outro contato com quadrinhos. Entretanto, após o lançamento da extinta “Pixel Magazine” (lá por 2008 ou 2009, se eu não me engane), comecei a me interessar mais por quadrinhos americanos, em especial os mais “underground”.  Promethea, por exemplo, conheci através da Pixel Magazine. 
Em geral, acho que os quadrinhos mais “alternativos” abordam temas mais variados e profundos do que os quadrinhos “comerciais”, o que me chama mais a atenção (especialmente o selo Vertigo).

CRISE: Dá pra ver que você também tem uma preferência por quadrinhos mais alternativos. Você tem planos para futuros cosplays de quadrinhos da DC?

Paula: Certamente! Nos meus projetos, está o cosplay da Jakita Wagner, de Planetary! E, prontinho, tenho
o cosplay da Miranda Zero, de Frequência Global (só esperando um evento legal para usá-lo). Ambos são do selo Wildstorm. Futuramente, mas sem data definida, pretendo fazer a Hipólita (Mãe da Mulher Maravilha).

CRISE: O mundo da DC está uma loucura hoje em dia. Temos os filmes do Batman v. Superman Dawn of Justice e Liga da Justiça confirmados, além das séries de Arrow, iZombie, Constantine, Flash, Gotham, Escalpo e Preacher. Você acha que a DC está amadurecendo no âmbito “não quadrinho”? E o que você acha sobre tudo isso?

Paula: Estava demorando para aparecer material televisivo/cinematográfico bacana da DC. Antes, estava restrito a Batman e Superman. Mas, a DC tem muito personagem bacana que pode ser bem aproveitado nas telinhas e telonas. Estou muito ansiosa para ver a série do Constantine (um dos meus personagens favoritos da DC).

CRISE: Existe algum quadrinho que você sonha em ganhar uma adaptação para a TV ou Cinema?

Paula: Frequência Global daria uma série fantástica. Pelo que andei vendo pela web, já foi pensado em fazer uma série, mas, infelizmente, não foi para frente. 

Crise: Esse ano teremos diversos eventos nacionais sobre quadrinhos. Comic-Com Experience é um deles. Você tem algum cosplay em mente para algum desses eventos? 

Paula:  Tenho sim: A Jakita e Miranda Zero. E, fora de DC/WIldstorm, a F.A.K.K. 2, da Heavy Metal Magazine.

CRISE: Voltando a falar do mundo cosplay: conte um pouco da sua história como cosplayer pra gente! Você já participou de alguma apresentação? Já ganhou algo? 

Paula: Adoro participar de concursos, mas sem o intuito competitivo. Quando o evento tem espaço para apresentação de cosplay, sempre participo. Faço apresentações a moda antiga, na base do microfone e ao vivo. Gosto de subir no palco, para interpretar o personagem. Mas já ganhei prêmios, sim. Ganhei com a Promethea, Lady Porta e, recentemente, com a Xanadu. 

CRISE: Além de cosplayer e amante de quadrinhos, quem é Paula? Nos conte um pouco sobre você!

Paula:  Paula é uma mulher meio maluquinha, que adora uma novidade e se interessa por coisas diferentes. Entende bastante de chocolate e ama crossfit!  Além disso, adora sua profissão (neurocirurgiã), que trás bastante desafio!

CRISE: Bem, foi um prazer conversar contigo. Você é impressionante e está de parabéns! Espero que você continue fazendo seus cosplays inusitados e impressionantes. Alguma última mensagem? 

Paula: Foi uma honra para mim! Uma mensagem? Nunca desista daquilo que você quer: por mais que possa parecer bizarro, estranho ou que muitos te desanime, não desista. Se eu desse ouvidos para tudo o que me falaram até hoje, não seria cosplayer, neurocirurgiã, nem teria feito tudo o que curto!

CRISE: Essa foi a Paula Annunciato, pessoal! Seguem as imagens dos cosplays dela. Digam nos comentários o que vocês mais gostaram! Um obrigado especial pra pessoa maravilhosa que é a Paula e para todos os leitores do Crise!

Paula: Vocês é que são uns lindos! E continuem com o ótimo trabalho de vocês, no Crise nas Infinitas Comics!

Segue uma série de fotos escolhidas por Paula para serem mostradas no Site! Para conhecer mais sobre seu trabalho, viste-a no facebook por este link.








Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.