Avançar para o conteúdo principal

Arrow S02E17 [Birds of Prey]

Com a proposta de expandir ainda mais o universo de Arrow introduzindo, possivelmente, participantes de um novo grupo (as Aves de Rapina!), o décimo sétimo episódio da segunda temporada nos traz propostas interessantes, mas um pouco mal executadas. Veja o que achamos do episódio aqui!




Finalmente, temos um esperado retorno a série. Desaparecida desde meados da primeira temporada, a Huntress retorna (novamente) à série para tentar mostrar que não, não é só a Canário a única mulher super-forte da brincadeira.

Focado na trama que envolve a Huntress e sua sede de vingança por seu pai, Oliver, Sarah e Laurel são o principal foco do episódio. Por mais que o mesmo tenha o nome de "Aves de Rapina", não encontramos muitos indícios de uma futura formação.

Para ser sincero, o episódio trata bastante a história de Laurel, novamente. Mas infelizmente não faz isso muito bem. Não encontramos ainda uma personalidade para a personagem, parece que ela está igual desde o primeiro episódio. A série inteira tratou todos os personagens na segunda temporada com um carinho de dar inveja, seja na evolução de suas características ou personalidades, porém Laurel fica fora disso.

Ela "tenta" ser uma mulher forte e independente mas sempre tenta voltar para a bebida. Já entendemos que é um grande problema na vida dela, não precisa reforçar isso. Felizmente, esse episódio veio para tentar garantir que temos um ponto final na história da Laurel ébria de vez. Finalmente.

Antes de falar da Huntress, ainda existem outros personagens que merecem ser comentados. Roy encontra também uma situação pouco favorável a ele. Na primeira temporada, ele era um trombadinha que tinha
ideias bagunçadas na própria cabeça e não respeitava ninguém. A segunda temporada arrumou isso; ele cresceu, virou importante e passou a ser mais maduro, seja com Thea ou com Oliver.

O problema é que nesse episódio voltamos a encontrar o personagem confuso e sem muitas certezas. Claro, ele está sobre efeitos da Mirakuru e dá para se entender seus passos em falso, porém, terminar com a namorada porque o "Arqueiro" ordenou foi bobo demais. Não parece que é o personagem independente e adulto que estava sendo tratado na segunda temporada. Claro, isso tudo culminou no melhor momento do episódio, que irei falar em instantes.

Os flashbacks também foram extremamente escassos e inexpressivos - de novo. Com o avanço da história da ilha, parece que o tratado com o passado do Oliver ficou um pouco avançado demais para o presente está. Mas ainda sim eles não foram ruins, pelo contrário, tiverem um conteúdo mínimo - porém interessante.

Agora sim, a Huntress. É uma pena ver uma personagem tão bem criada ser tratada com tão pouca extravagância - que é por si só muito merecida. A personagem foi opaca no episódio, sem momentos marcantes, caracterizada por emoções fúteis e desejos de vingança, no mínimo, desinteressantes.

A personagem passa do "raivosa" para o "calma" muito, muito rápido. Faz toda a sensação do episódio ser apática e acaba contribuindo para uma trama mediana. A temporada, até o momento, tinha episódios ótimos e bons, é uma pena ver que o retorno tão esperado de uma personagem tenha sido assim, tão rápido, bobo, sem emoção e fraco.

Ao menos, em todo o episódio, temos dois momentos bons: Oliver chamando Roy de "Speedy" e o final, inesperado e intrigante. Um passo em falso na temporada, mas com um final tão empolgante, que nos anima para o próximo episódio.


Nota 6. Sem graça e inexpressível, é o primeiro episódio realmente mediano da segunda temporada. Com a promessa falha do retorno de personagens queridos, o episódio acaba decepcionando por não conseguir entregar o que deveria. 
Aonde o episódio acerta: Nos últimos momentos do episódio e no Oliver falando "speedy"
Aonde o episódio erra: Trama fraquíssima, retornos falhos, história sem sal, situações forçadas e um clima de artificialidade nunca antes visto nessa temporada.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Sweet Tooth #02

Estava bastante ansioso para saber o que sairia desta HQ no segundo episódio. A primeira edição foi boa, e poderia esperar tanto uma estagnação da história, como uma reviravolta. Felizmente, o melhor aconteceu.