Avançar para o conteúdo principal

O Limite: O que é uma boa revista para você?

É comum e inevitável: a gente sempre passa por discussões com os amigos e companheiros sobre a qualidade de quadrinhos e encadernados - ou a falta dela. Levando em consideração a DC Comics, afinal, quando o bate-boca deixa de ser saudável e passa a ser, no mínimo, problemático?

Na minha missão diária que eu chamo de trabalho, aonde eu busco fortemente enriquecer com aulas de inglês, vira e mexe encontro um aluno ou outro que curte quadrinhos. Para evitar qualquer forma de conflito, já pergunto: "Marvel ou DC?"

Praticamente sempre recebo a resposta "Marvel"; acompanhado com "Conheci por causa dos filmes". Claro, brincadeiras a parte e por mais que tenha a preferência na casa da DC, acabo comentando que "gosto um pouco de X-Men e estou conhecendo Guardiões da Galáxia".

A história segue com o mesmo aluno. Perceba, ele falou que o filme favorito de quadrinho dele é Watchmen, adora V de Vingança, quando era criança ele lia Sandman e que os heróis favoritos dele são o Capitão America e o Superman. Vale lembrar dos comentários do tipo "Adoro Sin City" e "achei Kick Ass fenomenal".

Isso me pegou de surpresa: não, ele não era fã da Marvel. Muito menos da DC, Vertigo ou Icon. Ele era fã de boas histórias, de desenhos bem criados e característicos; e de uma história concisa e um roteiro impressionante. E chegou o momento de eu reparar que, ei cara, para que ter preferências se
você pode simplesmente aproveitar o que tem de bom por aí?

Isso fora a algumas semanas atrás, e desde então tentei me aventurar um pouco por essa Nova Marvel. Não, não consegui me encontrar nos quadrinhos da casa das ideias, mas o que conseguir achar foi um produto de muita qualidade, obrigado. Dentre tudo que comprei (e gastei uma boa grana), o que vou continuar acompanhando é Gavião Arqueiro, Novíssimos X-Men, Guardiões da Galáxia e NOVA.

Isso me faz um "Marvete"? Não, querido, não faz. Isso me transforma em um consumidor. Depois da experiência com o aluno, não vou mais ver o nome da capa. Vou procurar por conteúdo, e assim fiz: admito, sou perdido para caramba em encadernados da Marvel, mas nada me impediu de dar uma pesquisada.

Odeio a personagem que é o Capitão América. Simplesmente fiquei apaixonado pelo encadernado O Soldado Invernal. Não suporto o Homem de Ferro, acho ele de uma péssima personalidade. Fiquei arrepiado e praticamente sem palavras na Guerra Civil. 

Isso me explicou que não. Os heróis "explosivos e comerciais" que eu vi nos cinemas não são aqueles que existem nos quadrinhos. O fato da DC estar anos-luz de distância da Marvel nos cinemas me faz ficar em uma zona de conforto - sempre encontro algo de qualidade da DC, porque não tenho muito aonde comparar. Isso não acontece na casa das ideias, temos os filmes para julgar os heróis (e subestimá-los), mas foi assustador quando li o Gavião Arqueiro da nova Marvel e simplesmente não tinha NADA em relação com o d'Os Vingadores. Ele é importante, com personalidade e objetivos. Nem parece o mesmo personagem, certo?

Claro que não encontro dentro da Marvel o vasto universo que a DC proporciona. Seja com personagens cada vez mais aguçados ou encadernados históricos que mudaram a história dos quadrinhos: eu amo a DC Comics porque ela nunca me decepcionou por completo, mas não é por isso que devo odiar a Marvel. Ou a ICON, Dark Horse e assim segue. E muito menos: não é por isso que eu não devo ler coisa boa.

Não é porque você prefere empresa x de videogame, que deve odiar a empresa y. Não é porque você gosta de um cantor, que deve odiar outro. Essas coisas não deveriam existir. Já dizia Fernando Pessoa:

O Essencial da arte é exprimir - Fernando Pessoa

Tenho certeza que o que aprendi com meu aluno mudou meus conceitos. Como um choque de realidade, não vou mais perguntar "Marvel ou DC", mas sim perguntar:
Você gosta de quadrinhos?


Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.