Avançar para o conteúdo principal

Os Melhores Do Mundo: A Legião é bacaninha!

Que beleza!
Hoje estreia a minha coluna semanal aqui no CRISE NAS INFINITAS COMICS onde sempre vou fazer algo heroico, algo que todo super herói que se preze tem que fazer: defender os mais fracos.
Este é o tema da coluna "Os Melhores Do Mundo" que eu, Ricardo Syozi, vou usar para mostrar que aquele personagem, aquele grupo, aquela HQ e até mesmo aquele filme ou algo do gênero que a grande maioria decide ignorar ou desgostar merece um pouco mais de atenção.


Começaremos com...

A LEGIÃO DOS SUPER HERÓIS!

Para quem realmente não conhece este grupo, eles são do século 30 e 31 onde, inicialmente, faziam parte do mundo do Superboy original (Kal-El adolescente). Suas constantes viagens no tempo para "consertá-lo" era o foco de suas histórias, além de enfrentar vilões como Darkseid, Superboy-Prime e a Legião dos Super Vilões, claro. Seus membros mais famosos são Relâmpago, Cósmico, Satúrnia e Brainiac 5, além, é claro, do Superboy.

Mas por algum motivo, muitos fãs de quadrinhos os colocam lá embaixo na escala de super grupos, atrás até mesmo do Esquadrão Suicida e das Aves de Rapina (que logo mais será mencionada nesta coluna).
Por quê, ó santo Jor-El?!

Vamos dar uma olhada nas qualidades imprescindíveis do grupo:

- Eles são um sucesso entre a criançada. Por incrível que pareça, a Legião já apareceu em inúmeros episódios de desenhos infanto-juvenis como Liga Da Justiça e Superman. Além de já ter possuído a sua própria série que é bem bacaninha BTW.
- Suas histórias que mesclam aventura com bom humor é uma das poucas características que permanecem ainda hoje vindo da Era de Prata dos quadrinhos, ainda mais na atualidade onde o foco é a violência escancarada.
- Eles são tão legais que deram um "chega pra lá" no Super e ganharam a sua própria revista. Quem pode dizer que já realizou tamanha façanha?
- Paul Levitz já escreveu para a Legião. Sim, o antigo presidente da maior casa de quadrinhos do planeta já deu suas palavras nesta revista. E não foi algo pequeno não. Paul escreveu a maior saga deste grupo até hoje em agosto de 1984, onde eles enfrentaram a Legião Dos Super Vilões, presenciaram a morte do Karate Kid e ainda conheceram dois novos membros: Tellus e Quislet. Além disso, a saga se mostrou mais adulta, cheia de contrastes e ideias futuras que sairiam no reboot "Crise nas Infinitas Terras".
- São poucos os grupos que conseguem sustentar seus principais fundadores até os dias de hoje. Isso se chama regularidade, algo que vemos e muito nas histórias da Legião.
- Convenhamos, narrativas focadas em viagem no tempo são sempre interessantes.

A Legião Dos Super Heróis consegue manter temas diferentes da maioria das outras revistas por possuir o foco temporal, ou seja, ela jamais precisa se prender a algum tópico contemporâneo, mesmo sabendo que muitos destes acabam sendo universais.
Eles podem não possuir o mesmo glamour de grupos como a Liga ou a Sociedade, mas ainda possuem detalhes em seus coadjuvantes que merecem ser enxergados.
Dê uma lida e me diga se não estou certo.

Até semana que vem!!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: