Avançar para o conteúdo principal

O Limite: Os "novos" 52

Seja no Brasil ou nos Estados Unidos, ver uma revista ser cancelada é realmente um motivo para ficar bem triste. Por nossas terras, a mais recente vítima foi o mix DARK, enquanto nos EUA foram seis revistas, e entre elas, "Asa Noturna". É um motivo para se preocupar ou só "visão de mercado?"





Quando uma revista é cancelada aqui no Brasil, não é tão ruim assim: ainda podemos importar quadrinhos que vão saindo lá fora ou acompanhar fazendo compras digitais de cada edição que sai. Mas e quando uma série é, sem aviso prévio, cancelada nos EUA? Isso sim é motivo para preocupação, sem dúvida.

Enquanto aqui estamos quase no volume de número 19, os EUA estão no 30; temos dez meses de diferenças. O que isso causa? Bem, podemos estar lendo e estarmos animados com uma série para de repente ver que ela foi cancelada.

Dois dias atrás, a DC cancelou seis séries: Liga da Justiça da America, Asa Noturna, Esquadrão Suicida, Superman Unchained (ainda não saiu aqui no Brasil), Stormwatch e Jovens Titãs. Isso soma com o cancelamento que foi anunciado pouco antes - da revista Homem Animal.

Vemos muito material interessante nisso tudo. Homem Animal e Asa Noturna serem cancelados é motivo de pena... Mas porque será que isso acontece? Para dar espaço à outras publicações? Por problemas de venda? Por uma má recepção da crítica?

Homem Animal recebe, desde seu início, uma incrível recepção da crítica internacional - inclusive, é uma das revistas mais elogiadas desde o começo do Crise Comics. Assim como Asa Noturna é um "sucesso" de vendas. Entender a DC é como tentar entender a vida: difícil e dá um pouco de dor de cabeça.

Sinto saudades da época que a DC não se importava tanto assim com lucro ou com grandes sagas. Por mais que eu adore os Novos 52; não tem como negar que depois do Dia Mais Claro, a DC permanece em um terreno mais sólido das vendas em "grande massa"; seja com capas alternativas ou sagas que interligam séries. É muito triste ver que as revistas que não se integram ao novo universo da editora simplesmente são cortadas, por não terem um apelo comercial tão grande assim.

Isso, para os fãs da "finada" Vertigo, é uma pena. A inclusão do universo Vertigo ao regular da DC nos faz ficar com um pouco de medo. Talvez com exceção de Liga da Justiça Sombria; as séries baseadas em personagens da Vertigo sofreram bastante com os Novos 52; começando pelo cancelamento de "Eu, Vampiro" e "Homem Animal" até a mudança de equipe de "Monstro do Pântano"

Mas o que o cancelamento de "Asa Noturna" tem em relação à tudo isso? Bem, aí entramos em uma área mais delicada. Quando títulos como os mencionados acima são cancelados, por mais que sejam bons títulos, entendemos. Provavelmente isso acontece por causa de vendas baixas "em geral"; o personagem não se dá bem dentro do universo atual. Mas com a revista do Dick Grayson as coisas são diferentes: ele tem vendas boas, recepção boa e uma grande base instalada.

Provavelmente, a DC cancela séries como essa por não se adequarem à um universo amplo com constantes mudanças de fundo literal. O preço da criatividade em quadrinhos é muito caro, e apostar em algo mais "direto" vale mais a pena. Em sumo: tirar a revista do Asa Noturna para colocar outra de Batman vai vender mais e precisar de menos esforço.

Caso isso tivesse acontecido nos anos oitenta e noventa, nunca teríamos visto Watchmen, Sandman, V de Vingança, Piada Mortal, Y, Orquídea Negra, Hellblazer e assim vai. Nenhuma dessas revistas se "adequavam" ao universo da DC do momento, mas acharam seu caminho. É uma pena ver uma DC ficando cada vez menos ampla e mais comercial para entregar quatro títulos protagonizado pelo Batman e três pelo Superman só porque eles tem medo do preço caro - mas rentável - da criatividade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: