Avançar para o conteúdo principal

Crise Conversa: Monstros Gigantes x qual heroi da DC?

Vamos ao segundo Crise Conversa desse ano, num estilo bem diferente proposto pelo Happo, nosso incrível redator das mais variadas reviews, não com uma pergunta na lata, mas com uma situação um tanto quanto inusitada:

São Paulo está sendo atacada por monstros gigantes e só há disponível um herói da DC. Qual seria ele, e como ele resolveria a situação?


Happo: Pessoalmente, acho que se tratando de São Paulo, uma metrópole meio distante do foco de invasões de calamidades, e pensando que os monstros gigantes sejam no máximo uns três, de tamanhos de prédios de 10 ou doze andares, que tenham surgido das profundezas do oceano atlântico, e que possam soltar alguns raios poderosos de suas mandíbulas, acredito que o herói ideal seja o ausente Chefe Apache. Além de estar completamente disponível, ele poderia crescer e combater os monstros com ajuda do exército, que servirá de bucha de canhão. Não seria uma luta simples, São Paulo levaria alguns anos para reconstruir a Zona Oeste e principalmente a Avenida Paulista (palco principal da batalha). Por fim, o Chefe Apache resolveria tudo utilizando os próprios poderes dos monstros. Os raios canalizados das mandíbulas são estratégicamentes atraídos até as diversas antenas de rádio da Paulista, criando uma mistura dos raios especiais dos monstros com a rede elétrica, criando tempestades de energia, que acabariam por atingir em cheio o corpo das criaturas, que ficariam sobrecarregadas, resultando na explosão de suas carcaças (junto com boa parte dos eletrodomésticos das casas) numa chuva de carne que duraria minutos. Mas que trabalho de merda heim Chefe Apache!


Alex: São Paulo é a maior cidade do país. Como uma grande metrópole "adulta", talvez a "inocência" conseguiria vencer. Já chego em quem eu acho que seria ideal.
São Paulo não é "corrupta ao extremo" como Gotham ou com guerras de corporações como Metropolis. A capital econômica do país é uma "cidade adulta" que sempre está forte diante as mudanças. Talvez, por isso, eu acho que o melhor herói para poder salvar tal cidade é um herói que parte da inocência de uma criança para uma força mais adulta. Estou falando de Shazam! Não só por saber claramente a diferença entre o "bem" e o "mal", Shazam saberia como resolver as cosias aqui na grande capital paulista. Ele prezaria em, caso alguma grande batalha ocorresse, não destruir boa parte da cidade (estou falando de você, Superman) nem de matar meia dúzia de gente (Oliver Queen) ou deixar todos os setores terciários malucos (sua vez, Batman.) Ele resolveria as coisas com a simplicidade dos poderes dos deuses e terminaria deixando a cidade quase que intacta.


Ricardo Kyo: Sempre penso nos Super Gêmeos, mas como estamos falando de São Paulo, uma das Hal Jordan e todo o poder de seu anel. Ele usaria toda a sua criatividade e conhecimento militar para enfrentar os robôs, e caso precisasse, chamaria seus colegas de Tropa para dar conta do resto.
maiores cidades do mundo, precisamos de algum tipo de autoridade que pode, além de enfrentar robôs gigantes à altura (sem trocadilhos aqui), comandar toda uma população. Pensando assim, não há ninguém melhor do que


Sidrack: Pra uma situação dramática como essa em São Paulo, só um poderia salvar a cidade dos monstros (mas não dele próprio), o Lobo.
O Lobo com todo seu arsenal de armas mortais, com sua força quase que mítica e sua fúria descomunal iria arrasar todos os monstros sem eles terem a mínima chance. Os problemas seriam os efeitos de destruição na cidade, mas isso não é nada tão importante assim, afinal o governo está sempre ai com suas incríveis obras sociais.
O importante é que no final de tudo isso o nosso querido Lobo iria para a Rua Augusta beber uma breja observando a pilha gigante dos verdadeiros monstros da cidade, os paulistas.


Cuba: Pensei em Guy Gardner, pra misturar as opiniões dos colegas Kyo e Sid, colocando um membro da Átomo. Ficando do mesmo tamanho ou até maior que os monstros invasores, uma gloriosa lucha libre se desenrolaria pelo tapete de asfalto da Avenida Paulista, com direito a antenas feitas de tacos e deslizada no prédio da FIESP e, como um bom militar que Albert 'Al' Prat é, tomaria uma costumeira coxinha com cerveja, nas padarias de esquina da Augusta depois dos embates noturnos.
Tropa em um dos vários bares da querida Augusta, mas o que me saltou a mente foi a encarnação da Terra-2 do herói da Era de Ouro, o


Rick Monte: Aquaman! Ele é o único herói disponível da DC, uma vez indesejado e desprezado pela maioria do universo DC, Aqua fica sobrando, e acaba sendo enviado pela Liga pra resolver os problemas dos países emergentes, tendo acabado de assistir Gigantes de Aço, Aqua resolve testar seus poderes psíquicos no que acredita serem Kaijus, que emergiram no litoral paulista e se dirigem a capital! Quem mais indicado do que ele?!






E você leitor, qual cenário tem em mente?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Supergirl, Lanterna Vermelha

Não é de hoje que a Supergirl tem alguns problemas em controlar sua raiva e alguns sentimentos mais fortes e, de acordo com o novo escritor de Supergirl, Tony Bedard diz que Kara vai evoluir de uma adolescente cheia de raiva para uma adulta, defensora da Terra. Mas primeiro, ela tem que se livrar dessa fúria da juventude! Cuidado com os spoilers: