Avançar para o conteúdo principal

Arrow S02E11 [Blind Spot]

Seguindo a linha de episódios fantásticos, a segunda temporada de Arrow até agora conseguiu se superar e se reinventar diversas vezes, sem perder a qualidade ou o estilo que a série vem tomando a cada semana. Veja o que achamos de Blind Spot aqui; mas cuidado, a review pode conter spoilers.




Com a promessa de fazer o espectador se sentir desesperado e em um "espaço sem visão"; Blind Spot é um episódio que nos mostra algumas maneiras de enfrentar e reagir às personagens até então introduzidas a série, do passado ao futuro.

Vamos ao flashback: temos um Oliver e uma Sarah cada vez mais próximos - e mais distantes de Slade. Além de vermos mais de perto também o quão a relação deles fez sentido, vimos um pouco da imagem de Laurel no passado. Sim, existem ligações.

Ao passado também podemos ver o quão importante é a droga Mirakuro para toda a trama. Vemos que o Oliver tem o porque de ficar preocupado com a utilização da droga e, não só isso, tem que ficar preocupado com Roy Harper.

O brilho de Roy fora controverso no episódio. Ver ele ao estilo "capitão América" é um pouco estranho, sem dizer que é meio fora do comum para um fã da série Arqueiro Verde ver Roy com algum tipo de poder. Em contrapartida, temos uma ambientação violenta e densa, MUITO
característico dos quadrinhos.

Então temos os personagens que neste episódio são secundários "de muita importância". Temos o Oficial Lance, se mostrando aceitável - porém muito pé no chão, Laurel sendo a Laurel de sempre... Bem, aqui temos algo delicado. A personagem perdeu seu charme da primeira temporada, isso é um fato, e no episódio ela é um pouco irritante. Talvez seja essa a proposta do episódio, ficarmos com um pouco de receio dela.

E então temos as estrelas do episódio. Sebastian Blood, Oliver Queen e Slade Wilson. Cada um deles tem seu momento especial, que nos faz ficar com arrepios pelo corpo e ansiosos para ver o desfecho de todo o trama.

Ver Arrow de uma forma violenta, bruta, tensa, sincera e misteriosa é o que eu queria desde o começo da série. Encontrar uma adaptação tão dedicada e detalhada é impressionante, e nos anima cada vez mais a cada episódio que sai.


Nota 8.5. A expansão da mitologia dos personagens acerta em deixar a série mais concisa e emocionante
O episódio acerta: A melhoria da relação entre os personagens, a aparição das verdadeiras faces e do mistério envolto em toda a trama.
O episódio erra: No Roy Harper "Capitão América", na ausência de importância da Felicity e do Diggle, na AINDA não menção a nada do Barry Allen.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.