Avançar para o conteúdo principal

Flex Mentallo - O Homem dos Músculos Mistério





Conheço já algumas revistas do Grant Morrisson, e sei que não são das mais comuns. Sempre dotadas de originalidade, tentam abordar as histórias por uma perspectiva mais oculta pelas sombras da mente, de forma que é naturalmente mais dificil de enxergar os objetivos do roteiro. Também sei que nas décadas de 60 a 80 o LSD foi uma febre entre os artistas, e muitos utilizaram e sentiram a tal expansão da consciência que trazia novas ideias em todas as artes. Grant Morrison foi um deles, e essa edição de Flex Mentallo provavelmente surgiu em decorrência dessa época. Mas devo admitir que não esperava uma história com intensidade dessas.


É uma revista que precisa ter toda uma preparação histórica para introduzir a nossa realidade alguma lógica, afinal, o herói dessa história é um fisiculturista vestindo tanga de onça que possui o poder dos músculos mistério, uma espécie de energia paranormal vinda de músculos definidos e tendões flexionados. Por sorte, a introdução trás ao espectador todo o background dos quadrinhos americanos, desde a era de ouro, época de onde veio a inspiração para Flex Mentallo, até os tempos mais sombrios de conservadorismo, que levaram muitos artistas a mudarem de profissão ou serem caçados, como também aconteceu no cinema e literatura, mas que em resposta foram se levantando da opressão junto ao movimento da contracultura, que trouxe nova energia para as histórias em quadrinhos modernas.
Flex Mentallo é um herói nos moldes dos quadrinhos da época da segunda guerra, mas posto em um ambiente completamente distorcido por alucinógenos, heróis e vilões bizarros, guiados por cenas que não são exatamente cenas de grande ação, com momentos que chegam a tratar de temas existenciais, como pode ser visto logo na primeira página da história de forma tão sarcástica.

A sinopse principal é uma leve linha de condução, que se ofusca perante ao texto que a partir da narrativa dos quadrinhos, busca discutir um pouco da nossa existência e o conceito de realidade. Parafraseando a contracapa: “Flex Mentallo não vai apenas mudar o modo como você vê as histórias de super-herói, mas também a forma como enxerga o próprio espaço-tempo”. Se uma frase desse tipo lhe trás interesse, recomendo fortemente a leitura atenta, já que a revista é um tanto complicada de se digerir em apenas uma leitura. Caso não goste de temas complexos e histórias que não te dão colher de chá, então sugiro passsr longe.

É preciso mais que um corpo sarado para combater o crime.

Flex Mentallo foi publicado no Brasil pela Panini sob o selo Vertigo. O roteiro é de Grant Morrison, e a arte de Frank Quitely, em mais uma genial parceria.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.