Avançar para o conteúdo principal

Dark #0

Com a promessa de explicar e introduzir as histórias e origens, Dark 0 entra num momento delicado: todas as outras histórias no meio de sua trama corrida para dar uma "pausa" para mostrar um pouco antes. Será que tal proposta consegue, no fim, ser bem sucedida? Veja aqui em nossa review do mix Dark de número 0 pela panini. (Vale lembrar que ela não veio com poster. Chateado :( )











Liga da Justiça DARK #0 Nota: 8
Roteiro por Jeff Lemire, arte por Lee Garbett

Uma liga inteira... ou só um casal?

Liga da justiça dark com cheirinho de Hellblazer e isso é interessante. Com um roteiro que mostra muito bem as personalidades de Constantine e de Zatanna, somos apresentados à John. Não ao grande John Constantine, simplesmente a John. Um mago de newcastle. Um mago antes de ser O mago.

Tal apresentação é interessante. A personalidade de Constantine é bem trabalhada na edição e mostra seus primeiros contatos com Zatanna. Essa última que ficou estranha na edição. Sim, ainda é ela, mas um pouco "ousada" demais para o que sempre representou. O capítulo não fala dos outros membros da liga da justiça sombria, mas mesmo assim é interessante. Continua com o tema dos "Livros de Magia" e explica um pouco o poder deles.

Com uma arte simples e muito limpa (e bonita!) de Lee Garbett, o capítulo se sai bem na promessa de explicar um pouco mais das relações de alguns dos membros da liga da justiça sombria. Sim, podia falar dos outros, mas mesmo não falando não ficou ruim. Faltou mais conteúdo dos outros membros, mas é uma gostosa história de se ler.





Eu, Vampiro #0 Nota: 9
Roteiro por Joshua Hale Fialkov, arte por Andrea Sorrentino

Entrevista com... Bennett.

"Eu, Vampiro" sempre apresentou grande potencial nas histórias que vimos no presente, mas talvez agora tenhamos visto o quão envolvente a série é. Somos apresentados - com a arte estupefata de Andrea Sorrentino - um mundo antigo e clássico, com traições e mortes. Um mundo que gira com o combustível das lendas.

Somos então apresentados à um monstro que vive em seu próprio medo. E mesmo assim, mesmo prometendo não matar, só faz isso de forma diferente. Diferente e má, sádica e forte. E então, vemos um contato desse monstro com um homem simples. Um homem apaixonado.

Que morre, coitado, só morre. Morre e vira outro e então vemos a parte que Joshua quis nos mostrar desde a primeira página do primeiro volume de Eu, Vampiro. A troca da realidade humana e triste com uma ingenuidade violenta vampirizada. Vemos um novo ser. Que algum dia ainda fará muitas coisas. O filho de um monstro com o coração de um humano.



Ressurreição #0 Nota: 8.75
Roteiro por Dan Abnett e Andy Lanning. Arte por Ramon Bachs e Jesús Saiz.

E quando ninguém esperava...!

Abrir a página de "Ressurreição" e pensar que outra bomba vem é comum em qualquer leitor regular da Dark. Agora encontrar uma origem boa, uma ideia boa e uma história boa é novidade. Sério!

O capítulo conta a origem e também mostra um pouco mais do que parou no último volume, e sabe de uma coisa? É uma origem muito interessante. Explica tudo o que tinha que explicar e FINALMENTE de forma sincera - sem nenhuma confusão ou algum momento que te obrigue a ler novamente a página.

Vemos um novo personagem e novas decisões e também vemos um novo futuro pra série e - assustadoramente - um futuro que parecer ser... bom! Um novo arco é introduzido à história e ele parece REALMENTE interessante!

O desenho pode não estar dos melhores (e, na realidade, nunca foi) mas a promessa da HQ tem muito à melhorar. Se tudo der certo, eles conseguem. E eu espero que dê tudo certo. Tipo explicar como ele pode ser um clone com super poderes e o original - que usou o mesmo produto - não é e como só ele nasceu como clone... Sendo que muitos usaram o soro. Bem, ainda muitas coisas pra explicar. Quem sabe?


Homem Animal #0 Nota: 9.75
Roteiro por Jeff Lemire, arte por Steve Pugh

O outro lado da vida.

Genial. É assim que vejo a ideia de Buddy Baker e de tudo que envolve sua vida. Uma boa história precisa de uma boa origem, e vimos ela agora. Vemos a origem de um protetor iludido, que por muito tempo viveu numa ilusão boba e simples de uma vida vazia mas que na verdade era é um detalhe importantíssimo em todo ecossistema do mundo. E tudo isso nos é apresentado de uma forma genial.

Com um começo mostrando a morte do ex avatar do vermelho, vemos um parlamento "da vida" sério e calculista. De forma magnífica vemos a ascensão do vermelho, o verdadeiro e o falso, a partir dos movimentos sagazes de um parlamento que, acima de tudo, pensa. É uma outra perspectiva sobre heróis e sobre a série em si. A partir desse capítulo vemos Buddy com outros olhos. 

O desenho impressionante de Dave Pugh combina muito bem com a narrativa sagaz e direta de Lemire. A arte é bizarra como sempre só que mais sóbria e mais sincera, nada tão exagerado. Afinal, estamos vendo um mundo aonde as coisas ainda não são tão disformes. Impressionante é a palavra ideal para esse capítulo.



Monstro do Pântano #0 Nota: 9.75
Roteiro por Scott Snyder, arte por Kano.

Os conceitos do Verde.

Talvez a nova proposta de Monstro do Pântano seja tão boa que demoremos para perceber isso. Junto com Homem Animal, o conceito de "avatares" da vida dividido em três está cada vez mais complexo e interessante. Com as constantes tentativas de Arcane de desequilibrar a vida, vemos a origem do novo (e maior) avatar do verde de todos os tempos.

Começando com a morte do anterior, vemos os movimentos e ações de Arcane para tentar desequilibrar a vida, e mal ele sabia que só estava fortalecendo o superior. Vemos também como o antigo avatar errou e não era garantido de suas ações e um parlamento do verde mais calmo e centrado do que nunca.

Até agora fomos apresentados à um novo avatar e nas coisas que ele vai mudar no mundo. Monstro do Pântano #0 junto com Homem Animal #0 mostra o porque da podridão odiar tanto a vida, e sem dúvida conseguem convencer. O desejo da destruição e dominação consegue corromper qualquer um e qualquer coisa. Com uma arte diferente e muito boa de Kano, o capítulo é um deleite a qualquer um que não conhece tanto assim o Monstro do Pântano.

Comentários

  1. Olha, as únicas coisa que prestam nesse mix são Homem Animal e Monstro do Pântano. Essa Liga Dark é ruim, com uma história boba e diálogos fracos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.