Avançar para o conteúdo principal

Superman 13

Superman #13 - mix Panini
Nota final 7,5


Ler uma HQ que consegue nos proporcionar ao mesmo tempo sentimentos carinhosos e sentimentos de tédio não é uma chance diária. Superman #13 consegue não apenas fazer isso, mas também apresentar um prólogo de uma saga bem bacaninha chamada Inferno Na Terra. Esta edição não é uma das melhores, mas não deixa a capa vermelha cair.


Action Comics #13

Esta história possui dois momentos. O primeiro é com a presença do vilão Xa-Du que consegue de alguma forma escapar da zona fantasma e aprisionar Kal-El. O segundo, que de longe é o mais interessante, é o relacionamento LINDO entre o nosso Superman e seu cachorro fiel Krypto. Isso é o que faz esta história realmente valer a pena, pois é tão gostoso ler sobre uma amizade verdadeira e incondicional. Continuo dizendo que o meu “super poder” favorito de Kal é a sua super bondade, e esta HQ escrita pelo genial Grant Morrison faz jus à isto. O traço nas mãos de Travel Foreman é competente, mas nada empolgante. Apenas serve como coadjuvante para uma narrativa interessante.
Nota: 7,0


Action Comics #13 - 2 

História curta de oito páginas roteirizada pelo bom escritor Sholly Fisch. Este cara é acostumado a criar textos infantis, mas que recentemente vem se destacando nas páginas do Super. Nada grandioso, mas sempre com um teor ingênuo e bondoso. Esta história conta um pouco mais sobre a lealdade de Krypto com Kal-El e sobre uma verdadeira amizade.
Nota: 9,0


Supergirl #13

Aos poucos Kara vai voltando ao meu coração. Após histórias sem graça com uma briguinha constante de garota mimada, a nossa Supergirl volta a ter ação e comoção. Ela se reencontra com um antigo inimigo em sua própria Fortaleza Da Solidão, aqui chamada de Santuário. Há uma discussão bem acalorada, pontos de viradas interessantes, um momento de lucidez pouco visto em Kara e uma conclusão empolgante. O texto está muito bom, mas tenho que destacar o traço competente de Sami Basri, que foi convidado, espero eu, para tomar o lugar do irregular Mahmud. Assim, finalmente após duas edições eu li uma hq da Supergirl onde meu gosto pela personagem voltou. Assim, fico feliz.
Nota: 8,0


Superman 13: Odeio essas histórias cheias de lances técnicos que importam pouco. Até entendo que há leitores que curtem, mas quase sempre pego no sono antes de virar a página. A edição 13 da história principal e contemporânea do maior herói de todos os tempos começa assim: lentamente, quase parando. O traço é daqueles cheio de detalhes que agradam, mas também podem desagradar por sua “bagunça”. A partir daí, há muitas reviravoltas tanto pessoal (com o renascimento de Clark no Planeta Diário) quanto heróicamente (com um novo confronto). O mais legal é que isso serve como um prólogo para a saga Inferno Na Terra que promete ser sensacional nas revistas seguintes do Super. Assim espero.

Nota: 7,0

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.