Avançar para o conteúdo principal

Arrow S01E20 [Home Invasion]



De pouco a pouco, Oliver Queen fica um pouco mais parecido com o que todo mundo conhece - e quem não o conhecia, começa a provar um pouco do que ele realmente é. Veja o que achamos do 20º episódio de Arrow; mas cuidado! A review contém alguns spoilers, então só leia se tiver assistido!




Depois de um tempo, parece que Arrow "depois-do-hiatus" finalmente mostra sua cara. E que cara! O episódio volta com uma tensão característica que eu, particularmente, já tinha esquecido como era. Mas essa "tensão" volta mais forte, mais bem construída; ela tem um fundamento inteiro. E muita coisa nova acontece, gente antiga aparece e as coisas continuam em passos de tamanho ideal; nada mais, nada menos.

A cidade se mostra ácida, tensa, real. Parece que a vingança é distribuída no mesmo lugar que a morte e o assassinato. Talvez um único "vigilante" não seja o bastante; e é nisso que o episódio aposta, o fato do Oliver ser só um. Mesmo com Diggle e Felicity, é difícil para Oliver conseguir seguir, ir fundo e principalmente, entender seu próprio eu. O episódio trata isso muito bem.

Ao mesmo tempo que tudo isso acontece, digamos que "Laurel acontece". As coisas com ela foram caminhando para algo que nem ela, nem seu pai muito menos seu namorado conseguem lidar. Ela não esta só entrelaçada ao Vigilante, mas agora todo mundo já percebeu isso também. A situação entorno dela deixa claro a realidade. Você (quem assiste) entende a personagem e seus problemas; agora a própria personagem não sabe disso. É legal essa sensação de domínio, de criar especulações e expectativas; e aparentemente Arrow tem uma (ótima!) mania de impressionar de repente, mudar tudo, de repente aparecer alguém ou algo que mude tudo.

Os flashbacks explicaram as coisas bem lentamente, mas estão lá. Eles tem seu (curto) decorrer; e rolam bem, mostram um pouco do "avançar" de Oliver, de como ele pretende se tornar o vigilante e como ele escapa de algumas situações bem impossíveis; como a apresentada no final do episódio.

A breve aparição de Moira é um pouco decepcionante; quando é que vão dar alguma continuidade pra história dela? E, novamente, cadê a lista? Cadê o outro arqueiro? Eles eram recorrentes, de repente sumirem é no mínimo estranho. A Thea volta com Roy; e eles finalmente parecem ter algum motivo, algum porém, e isso é legal. Deixa uma esperança que mais pra frente algumas coisas podem ter suas pontas bem definidas.

Nota 9. Quando se trata do Oliver, da Laurel e do grupo do Vigilante; é sensacional. Mas ainda faltou uma conclusão. Definitivamente o melhor episódio desde o retorno do Hiatus e um dos melhores episódios da temporada.




Oliver Queen é protagonizado por Stephen Amell, a série é dirigida por David Nutter. O seriado tem sua exibição no Brasil pelo canal Warner Bros. Toda segunda-feira, às 22 horas.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.