Avançar para o conteúdo principal

WE 3 - Instinto de Sobrevivência




Atenção: Se você é do tipo de pessoa que sente calafrios na espinha com bebês tristes, ou chora com maus tratos aos animais, recomendo que leia esta revista em doses homeopáticas. We3 é aquele tipo de revista que toca nesses assuntos sem dó, e vai te fazer querer abraçar seu animal de estimação, caso tenha um. Caso não se importe tanto assim com criaturas indefesas, devore esta obra prima sem medo.

WE3 – Instinto de sobrevivência conta a história de três animais que fogem de uma base de experimentos macabros envolvendo mamíferos e máquinas, pois esses eram modelos obsoletos e logo seriam eliminados como hardware antigo.
Estas três criaturinhas, um cão, um gato e um coelhinho, foram transformados em ciborgues de guerra, especializados em diferentes tarefas. O cão está equipado com armamento pesado, de modo que poderia derrubar tanques com seus mísseis e extrema força motora. O gato, naturalmente é um protótipo de assassino com armas letais e silenciosas. O coelho tem a função de implante e desarmamento de explosivos, tais como minas terrestres. Juntos formam uma equipe assustadora, que fora de controle é capaz de causar muito estrago.
A boa parte desta curta história, 118 páginas, pela edição definitiva da Panini em capa dura, é uma combinação desses personagens carismáticos, que pouco falam, mesmo podendo falar. Entretanto, estes poucos diálogos representam muito bem o objetivo principal da revista, que é o desrespeito dos homens com animais. A revista aborda principalmente os experimentos em laboratórios, que por mais que pareçam um tanto distantes da nossa realidade, estão acontecendo diariamente em laboratórios, desde testes de alergia de cosméticos, até clonagens, experimentos neurológicos, implantes de DNA, entre muitos outros que podem ser encontrados em sites de notícias por meio de mecanismos de pesquisa. Até rato com orelha humana nas costas já fizeram.

Pense no seu animal de estimação em WE3. Tente não agarrá-lo.

A revista trabalha muito com a violência, que choca o espectador com máxima intenção, assim como trata a inocência dos animais, que matam todos a sua volta sem ter exata noção do poder que tem, apenas buscando a paz de um lar utópico. Os simples diálogos entre a equipe dos três vão mostrando para nós que a todo tempo que na nossa atual realidade não existe cadeia alimentar entre as espécies dotadas de um maior instinto do que raciocínio (com todas as ressalvas possíveis). A luta é unicamente contra a opressão da humanidade que desrespeita todas as outras espécies, sejam vegetais ou animais.
Além da nobre causa do roteiro, uma coisa que me impressiona em WE3 é a ação e movimentação da revista, que mesmo tratando um papo que normalmente cansaria um público menos interessado no ativismo animal, rapidamente capta o interesse pelo modo ágil que a revista tem, com sucessões de planos detalhando ações violentas, explosões e tiroteios, mesclados a alguns momentos que testam a moral do espectador ao ver a crueldade desnecessária com animais. É literalmente algo que considero raro em filmes e Hqs: Ação com conteúdo, que não é uma dose sem sentido de adrenalina e serotonina.
We3 foi criado por Grant Morrison e Frank Quitely, sendo que Frank fez a arte da revista, e Grant Morrison o roteiro. Realmente uma dupla bastante premiada e muito bem criticada na mídia, que espero ver novamente em outras revistas em breve.
Se esta HQ não te emocionar no final, meu caro leitor, sinto lhe dizer, mas pode rasgar a sua carteirinha de ser humano e volte para sua espaçonave.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.