Avançar para o conteúdo principal

Arrow S01 E15 [Dodger]


       Arrow é caracterizado sempre com um início curioso, um desenvolver emocionante e um final vago. Essa formula sem dúvida da certo, mas de pouco à pouco, as coisas vão ficando um pouco estagnadas. O décimo quinto episódio de Arrow - Dodger - apresenta os sinais da saturação desta formula. Mas tome cuidado, a review tem spoilers! Leia por sua conta e risco.



       Starling city esta ficando, cada vez mais, uma cidade pior e mais conturbada para se viver. E, ao mesmo tempo, Oliver e seu novo grupo - agora completo, com Diggle e Felicity - estão novamente a frente de um problema que pode vir a destruir a cidade. Claro que, como alguns outros episódios, a trama do vilão fica só em segundo plano, e o seriado foca mais em problemas de Oliver com seu grupo e com sua familia
Tensão sexual define.
Por mais que não tenha sido o foco do episódio, o vilão da vez ficou muito bacana. O Dodger, ladrão inglês simples e cativante, de uma maneira até que inesperada.

        Moira também mudou bastante de tempos para cá. antes ela apresentava uma personalidade volátil e fraca, agora ela é decidida. Seca. Direta. Talvez essa mudança tenha sido interesse, mas eu achei que fez a personagem ficar um tanto quanto boba; fraca. Como disse a pouco, o episódio focou bem mais nas relações de Oliver e de Diggle com suas "paixonites"; a coisa ficou bacana, deu pra ver que Oliver superou quase que 100% a Laurel e toda a situação que ele já passou.

       Laurel e Thea estão juntas trabalhando, e de repente, assalto. Laurel sai correndo para trás do cara, não tem como não desejar que ela fizesse algumas acrobacias ou lutasse contra o cara. Afinal, Dinah "Laurel" Lance não é só uma advogada, né? Assim esperamos. De qualquer forma, o assaltante era nada mais nada menos que Roy Harper, mas eu não sei se fico feliz ou triste com a aparição dele neste episódio.
O Doct-- digo, Dodger na série.

       Roy simplesmente não teve sua aparição de maneira ideal. No final, pareceu ser um pouco forçado, besta, fútil. Faltou uma liga do personagem. Deu para ver, claramente, que Thea sentiu algo pelo garoto - lembrando que ELA tinha sido chamada de Speedy no primeiro episódio da série! - mas mesmo mostrando ele como um assaltante e garoto pobre necessitado, faltou algo que pudesse nos convencer que mais pra frente ele vai vir a ser um companheiro de Oliver.
        O episódio é interessante, sim. Os flashbacks não acrescentam muita coisa, mas continuam com uma qualidade impecável. A aparição de Roy Harper fora também interessante, mas no final, o episódio prometeu de mais, e acabou entregando um pouco de menos. Nota 7
Roy Harper

       Oliver Queen é protagonizado por Stephen Amell, a série é dirigida por David Nutter e tem sua exibição no Brasil pelo canal Warner Bros. Toda segunda-feira, às 22 horas.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.