Avançar para o conteúdo principal

Arrow S1E11 [Trust But Verify]


Arrow, a série pela CW baseada nos quadrinhos de Arqueiro Verde volta nessa semana com uma boa dosagem de ação e tensão, com uma introdução interessante a uma nova gangue e conflitos que botam Oliver e outros e um atrito emocional incrível. A review tem spoilers, leia por sua conta e risco!


O undécimo episódio apresentado pela Warner Bros. Brasil de Arrow começa em uma ação desenfreada e de tirar o fôlego logo nos primeiro minutos. Aquela dúvida de "nossa, um novo vilão?" vem junto com a apresentação de um novo grupo de delinquentes de Star City: os Falcões Negros.
A coisa vai tomando forma a partir da velocidade em qual os Falcões Negros são apresentados ao grande público. A descoberta da ligação de Digg com o grupo deixa um momento tenso entre ele e Oliver, causando brigas e desconforto entre os dois. Algo não esperado, e com certeza impressionante e muito bacana. O episódio tem dois grandes pontos fortes.

O primeiro: a tensão inteira apresentada no episódio. Desde o momento inicial, o episódio tem uma tensão magnifica, digna dos quadrinhos de Arqueiro Verde; as coisas acontecem de uma maneira rápida e poderosa, com brigas e cenas muito bem colocadas. Mas a tensão não fica só por parte da trama do encapuzado: a família de Oliver também esta passando por maus momentos.
Ai entramos em outro ponto sensacional do episódio: Thea esta magnífica, do início ao fim. A situação que ela enquadra com sua mãe e suas preocupações com sua família torna Thea uma personagem incrível; faz jus ao personagem de uma adolescente que não tem noção mas tem sentimentos à flor da pele. Isso é muito, muito bacana, principalmente com tudo relacionado à sua mãe, seu padastro perdido e Merlyn, um misterioso indivíduo que anda junto à Moira sempre e causa um ar curioso, já que sabemos que ele é o "outro arqueiro".

Oliver também está de volta à ativa. A imagem parada e frágil que ele passou anteriormente é completamente substituída por um individuo que quando coloca o capuz, joga fora suas emoções para reinar a justiça e igualdade e para punir aqueles que falharam com Star City.
Mas, claro, nenhum episódio (pelo menos até agora) foi perfeito. Ao mesmo tempo que a introdução dos Falcões Negros à série é muito bacana e bem vinda, causa um desconforto o fato de tudo relacionado a eles ser muito pouco explicado no episódio, parecendo que é só um "filler" qualquer. Mas não é. É chato ver que, novamente, Arrow não está aproveitando os vilões que podem aparecer, como anteriormente aconteceu com Deadshot e Firefly. Esperamos todos que os Falcões Negros retornem de uma maneira mais tensa que fora neste episódio, dai quem sabe eles se firmem bem dentro deste novo universo criado pela CW. Outro revés do episódio é o fato dos flashbacks que colocam um freio de mão em momentos que não precisa. Eles quebram a tensão. Por mais que no fim de tudo seja apresentado algo chocante na conclusão do epísódio a partir de um Flashback, todos anteriores à este são meio perdidos e sem muito sentido, não dá pra entender direito quem está preso junto à Oliver quando ele é capturado ou porque raios ele iria atrás dos caras malvados.

Talvez Arrow esteja andando bem, com um clima bom e criando uma "mitologia" bacana em cima de Star City; mas ao mesmo tempo, as constantes decepções junto aos vilões de Arrow acabam tirando um leque de personagens bacanas que poderiam aparecer mais para frente. Claro que, provavelmente, uma segunda temporada já deve estar planejada com novas histórias e novos vilões, mas resta rezar para que não ocorra com os Falcões Negros o mesmo que aconteceu com Deadshot, por exemplo.

Nota 8.


Oliver Queen é protagonizado por Stephen Amell, a série é dirigida por David Nutter e tem sua exibição no Brasil pelo canal Warner Bros. Toda segunda-feira, às 22 horas. Espero que tenham gostado da Review e continuem lendo e acompanhando tudo relacionado ao grande UDC aqui no Crise! Até semana que vem com mais uma review de Arrow e esta semana com a review de Dark #7.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.