Avançar para o conteúdo principal

Arrow S01 E13 [Betrayal]

A solidificação de um herói e a síntese da esperança em torno do Vigilante: "betrayal" é mais um ponto positivo na primeira temporada de Arrow, mas da uma puxada no ritmo que a série estava tendo. Porém, antes de ler a review, cuidado! Alerta de spoilers!




O 13º episódio de Arrow marca a entrada de (mais um?) vilão com um gostinho de 'filler', e é acompanhado com uma introdução um tanto quanto confusa, situação que após um certo tempo já é esclarecida. Ao mesmo tempo; o final do ultimo episódio ainda esta no ar: uma desconfiança em família deixa Oliver desconfortável com sua mãe, mas quem vai atrás disso tudo é Diggle. O que fica bem claro é a situação de um modo geral: as coisas estão começando a dar bem, bem errado e pegando patamares muito maiores do que talvez até mesmo Oliver imaginasse, ele esta vivendo duas vidas mas só tem uma para conseguir cuidar direito.

Oliver e Moira
A cidade também esta a par disso: os policiais, advogados, repórteres e muitas outras coisas estão crescendo junto com o Vigilante, Oliver esta se tornando a "esperança" de uma cidade perdida que encontra sua luz em um arqueiro com capuz verde e tinta nos olhos.

Logo que Laurel contata Oliver pelo seu celular "grampeado"; pensei na minha cabeça que seria rastreado o lugar onde ele se esconde, mas bem, não foi assim. Talvez este tenha sido um desconforto que só eu tenha sentido, mas quando percebi que era só algo para pegar a conversa, fiquei um pouco decepcionado. Pensei que os problemas seriam maiores e mais complexos; principalmente pelo nome do episódio! (Betrayal)
O vilão do episódio
Bem, de qualquer forma, um novo vilão fora apresentado. Um maníaco que saiu da cadeia e não tem muita historia em torno dele ou porque ele precisa ser caçado; muito menos se sabe se ele esta na lista ou não. De qualquer forma, é um cara calculista e bem interpretado mas acho que isso é o máximo que se pode falar dele e de seu plano de raptar Laurel para pegar o Vigilante. Falando nisso; no encontro do encapuzado com os policiais no topo do prédio fica aquele ar meio forçado: todo mundo esperava mais deste momento. A parte legal é ver que Laurel fica com raiva de seu pai por tudo isso, não só por ele ter mentido para ela, mas por ele ter quase morrido na coisa toda.

Talvez agora não seja mais um problema; mas os flashbacks do passado de Oliver na ilha são um pouco dispersos também. Tirando pelo final, parecem um pouco 'tapa buraco', mas não deixa o episódio ruim, nem melhor. Pela primeira vez, os flashbacks são quase que passáveis. É legal ver que Laurel sabe se proteger, afinal, mais pra frente ela se tornará uma importante defensora da cidade (assim esperamos), e quando Oliver tem certeza de que sua mãe é uma desgraçada por completo, o episódio nos presenteia com um final que da vontade na hora de ver a continuação. Talvez o episódio só tenha sido 'fraquinho' por não ter sido tão bom quanto o anterior, mas ele criou um terreno muito bom para um próximo episódio, e isso é mais do que ótimo.


Um justo 7.5 para o episódio. 


Oliver Queen é protagonizado por Stephen Amell, a série é dirigida por David Nutter e tem sua exibição no Brasil pelo canal Warner Bros. Toda segunda-feira, às 22 horas. Desculpem pelos meus atrasos, com Dark e Arrow. Meu teclado pifou, e só hoje (22/2) conseguir pegar um novo. Dark #7 sai até segunda feira, e as reviews de Arrow vão voltar ao normal, logo ao final da exibição do episódio pela Warner Bros. Brasil. Obrigado por tudo; e continuem ligados no Crise =]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.