Avançar para o conteúdo principal

Universo DC #05

Universo DC #05         nota total: 6,3

Pela primeira vez desde o reboot, UDC nos mostra um heroi diferente em sua capa, agora a Mulher Maravilha enfrentando os tentáculos do poderoso Poseidon! Descobertas do passado em Aquaman, conflitos épicos em Mulher Maravilha, os mortos se levantam para o Gavião, monstro contra monstro em Omac, tragédias Nucleares, revoluções Incríveis e um resgate espacial dos Falcões. Tudo isso numa só revista.






Aquaman #05

Mistérios, mistérios e mais mistérios, uhuuul! Quando a revista é boa, não falamos que 'mais uma pergunta é deixada no ar' e sim 'um novo mistério aparece para ser desvendado'. Essa é a diferença entre a ralé e Aquaman.

Chamado no meio da noite para ajudar na perícia de uma peça atlante encontrada no casco daquele submarino que Aquaman tirou de baixo d'água. Acontece que aquilo era uma antiga caixa-preta usada pelos atlantes e nela, havia uma mensagem avisando que Atlantida estava em perigo. Mas como aqueal nave subaquática ficou lá por muuuuuito tempo, a mensagem não alcançou seu destino.

No meio disso tudo, Arthur se perde no deserto e no meio de uma desidratação porreta, alucinações assolam sua mente e seu pai aparece para colocar mais peso nas costas de nosso heroi, nos revelando alguns detalhes de seu passado. Falando sobre sobre sua esposa e sobre a vida que Arthur leva entre a água e o mar, querendo ser aceito pelas duas mas rejeitados por ambas.

Depois dessa dolorosa aventura, Aquaman é salvo pelo exército americano e volta para sua casinha na beira do mar junto do Aquacão. Na edição a seguir, será mostrada a primeira 'aventura solo' da nossa rainha ruiva, Mera. Nota 8,0

O Selvagem Gavião Negro #05

Madrugada dos Mortos Vivos. É assim que começa o novo capítulo do Gavião. Vendo todas as pessoas ao seu redor como defuntos podres, Carter se desespera e sai correndo para um beco, a fim de invocar o metal enésimo e escapar pelos ares da loucura que o assola.

Convocado por seu chefe para traduzir um antigo livro, Carter descobre que o mesmo é um item antigo e de grande poder e perigo. Indo atrás da fonte que deixou o enigma em sua mão, ele acaba descobrindo um novo inimigo, o Fantasma Fidalgo.

E é basicamente isso, nada mais a incluir na história, só a apresentação de mais um inimigo e a ilustração não tão boa de Philip Tan, mas digo uma coisa, comparando com o próximo que irá desenhar o Gavião, esse cara é um Da Vinci... Nota 5,0



Omac #05

Hue hue hue Omac numer0 un0. Como levar a sério um título desses? Acho que na época que Jack Kirby idealizou o personagem, ainda com cara de humano e um porte decente, parecia uma coisa interessante, mas hoje não. Ninguém precisa de mais um hulk descontrolado, ninguém.

Lutas e explosões, é SÓ o que eu posso dizer sobre a quinta revista dessa coisa que foi concebida no décimo primeiro inferno. Frankenstein desce porrada no Omac, que acaba ficando cansado de apanhar, se teleporta e foge, levando o braço do verdão com ele. Enquanto isso, o Cadmus ainda se mantém escondido do mundo e o Xeque-Mate tenta deitar nosso amiguinho azulão do moicano. Nota 3,5

Só uma coisa a acrescentar, Frank da um pau em Omac tanto em força quanto em roteiro e arte, beijos.


A capa desta edição não poderia ter
uma ilustração diferente.
A Fúria de Nuclear #05

Aceitando trabalhar para a Zither Tech, organização que os estava caçando na primeira edição, e vivendo num subúrbio que é a encarnação perfeita do american way of life, Ronnie e Jason saem em sua primeira missão para parar um terrorista que possui um protocolo nuclear defeituoso e acabam falhando, provocando uma  explosão nuclear que varre um teco da cidade e eles ficam #chateados.

Parece que no calor do momento, deixaram o modo rock'n'roll ativado e f*deram com a p*rra toda, como uma dupla de jovens sem responsabilidade alguma, sendo que deveria ser o exato oposto disso já que possuem uma das armas mais poderosas da Terra implantada em seus corpos. Nota 5,0





Senhor Incrível #05

Rebelião geral, todo os prisioneiros da nave-prisão fugiram de suas celas graças Michael e seus amigos alienígenas. Por incrível que pareça, seus captores também fugiram, só que não de suas celas, mas sim da nave. Temendo que um dos encarcerados os destruísse, os Kryls fogem para outra nave com a intenção de destruir a primeira.

O alien em questão é Pylothia, uma criança de uma tribo onde os homens expelem energia bruta e as mulheres, absorvem. Porém, nascida com os dois gêneros, ela consegue fazer as duas coisas, o que a torna um ser extremamente poderoso e visto como uma perigosa arma pelos seus captores. E é isso que ela se torna.

Com toda uma conversa que Michael coloca em sua cabeça, sobre aceitar sua condição e parar com a tristeza de seu coração. Aceitando que veio ao mundo de um jeito especial, Pylothia absorve o 'raio da morte' que a outra nave lança e o manda de volta, destruindo os Kryl e deixando todos os prisioneiros-escravos, livres.

Voltando para sua cara e para a vida de magnata, Michael Holt fica a espera da próxima calamidade que terá de enfrentar. Foi um tema bem abordado e pelo que eu vi, esse capítulo foi o melhor do que saíram até agora. Nota 6,5


A capa original é outra, mas essa
alternativa ta melhor :D
Falcões Negros #05

Chegando a uma estação espacial que lança tubos de explosão pela Terra quando bem entende, Canadá e Selvagem logo são descobertos pela Mãe Máquina e mais uma vez confrontados com a opção de se juntar a ela na cidade utópica feita de tecnologia de ponta. Os dois a enganam para abrir um canal com os Falcões em terra e acabam recusando. Nisso, ela os arremessa em rota de colisão com o grande rochedo que chamamos de planeta.

Depois de uma cena fodástica de resgate numa velocidade absurda, eles conseguem se salvar e, antes da estação explodir no chão, Selvagem configurou para que esta lançasse um dos tubos explosivos no meio da cidade das máquinas.

Com tudo 'resolvido' e os falcões reinstalados, Kunoichi vai descançar, mas não antes de descobrirmos que a Mãe Máquina ainda vive dentro de seu corpo. Nota 6,5


2,10 metros de puro tesão não são nada
perto do deus dos mares
Mulher Maravilha #05

Navegando pelos rios de Londres, uma dupla de marinheiros encontram o cadáver de um hipocampo, criatura marinha metade cavalo, metade peixe, uma das criações do grandioso Poseidon.

Enquanto nosso trio tira uma folga pra tomar um chá na terra da rainha, um estranho se aproxima. O conhecedor da identidade de todos naquela mesa se apresenta com o Lennox, um dos irmãos por parte de pai da nossa linda amazona.

Seguindo as instruções do 'novo' irmão, Diana vai de encontro a Poseidon para dar a notícia de que Hera se apossou do trono do ausente Zeus. Deixando os deus furioso, ambos entram num embate entre membros e tentáculos, enquanto Lennox vai atrás de Hades dentro do esgoto da cidade e Hermes espera do lado de fora.

Distraída pela confusão, Zola não percebe que dois centauros se aproximam pela sua retaguarda. Agora o que será dos nossos queridos protagonistas, com um distante do outro em meio a toda essa ação?

Na visão de Azzarello e Chiang, Poseidon o grande deus dos mares foi personificado de acordo com sua alcunha, um enorme leviatã com uma coroa de corais e tudo o que se pode imaginar de 'submarino' grudado pelo seu corpo tentaculoso. Nota 9,0

Comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.