Avançar para o conteúdo principal

Um ano de Novos 52 e os 10 melhores personagens




A um ano atrás nos USA os Novos 52 começaram, prometendo um novo começo para a editora e seus personagens também. Alguns desses personagem tiveram pouquíssimas alterações, como Batman e Lanterna Verde, que tinham títulos de bastante sucesso, enquanto outros tinham uma reforma muito mais extrema: como o Super-Homem, que ficou solteiro, ganhou um novo traje e uma nova origem.

Olhando para o começo desses novos 52 títulos, descobrimos que alguns personagens tem com o reboot um status muito melhor do que jamais tiveram antes. Alguns dos principais nomes da editora tiveram mudanças muito necessárias, enquanto algumas figuras obscuras você pode nunca ter ouvido falar antes agora são peças-chave do Universo DC. Com isso em mente, aqui segue a lista de 10 personagens que deveriam ser muito gratos com o fato do reboot dos Novos 52 ter acontecido.






10 Vibro
  
É verdade, o herói mal apareceu até agora nos títulos americanos da DC, mas só o fato de que o personagem foi revivido e como um membro do alto escalão da Liga da Justiça da América, um grupo composto dos super-heróis mais perigosos do mundo, é como uma grande vitória para o ex-membro da Liga da Justiça Detroit.

Durante anos, considerado um personagem fracassado devido ao seu traje e conexão com a moda breakdancing dos meados dos anos 80, o potencial de Vibro tem sido encoberto por piadas baratas ou apenas sendo completamente ignorado. Se sua nova encarnação pode conquistar novos fãs, pode ser um projeto de resgate ainda mais impressionante do escritor Geoff Johns, que recriou a Liga da Justiça, Aquaman, entre outros.




09  Andrew Bennett

No começo dos Novos 52  você, sem dúvida, diria: "quem?" sobre Andrew Bennett, protagonista de "Eu, Vampiro". Agora, ele está governando todos os vampiros do Universo DC e enfrentando não só uma equipe zumbificada de caçadores de vampiros, mas muitos dos heróis obscuros da DC ao longo do caminho.

Andrew, como alguns outros da na nossa lista, é um símbolo para o gênero de horror dentro de um mundo dos super-heróis. Esse gênero se beneficiou com o relançamento de vários títulos de extrema qualidade. O reinado de Andrew sobre os sanguessugas não pode durar para sempre, mas graças a crossovers com Liga da Justiça Sombria e aparições ocasionais em Batman e Stormwatch, ele se tornou uma parte integrante da DC. E com a ameaça dos vampiros se espalhando por todo o Universo DC, a importância de Andrew continua aumentando.




08 Sinestro

Por anos, os leitores foram informados de que Sinestro foi o maior Lanterna Verde que já existiu antes de cair em desgraça e se tornar um supervilão. O único problema é que nós nunca realmente o vimos em ação como Lanterna Verde.

O escritor Geoff Johns fez um movimento ousado no início dos Novos 52, colocando Sinestro como protagonista de "Lanterna Verde" e removendo de Hal Jordan, temporariamente, do status de super-herói. Com Sinestro fazendo parte novamente da Tropa, os fãs acabam vendo como funciona sua estranha integridade moral, além de observar o respeito relutante entre os dois inimigos, Hal e Sinestro, que se tornam parceiros.

A única razão de Sinestro não estar em uma posição maior nessa lista é porque Johns vem construindo o personagem por anos antes do lançamento dos Novos 52, como no evento "A Guerra dos Anéis",




07 Caçadora

O manto de "Caçadora" costumava ter uma idéia muito legal: Ela era a filha do Batman e Mulher-Gato em uma Terra alternativa.

Mas uma vez que o mundo alternativo foi dobrado para a terra principal da DC, a Caçadora foi reintroduzida com uma família muito menos conhecida e interessante que a original. Embora houvessem algumas histórias da Caçadora boas ao longo dos anos, suas aparições muitas vezes se concentravam em mostrar com quem ela estava tendo um caso, em vez de mostrar quem ela realmente era.

Com o reboot, Caçadora volta a ser um Wayne, e agora ela é de uma terra alternativa novamente. Como resultado, a DC não só deu a personagem a sua própria mini-série com o reboot da Terra-2, mas agora uma mensal compartilhada com outra heroína dessa Terra, a Poderosa. Isso ajudou a recriar o interesse pela personagem, e a verdade é que mal podemos esperar para ver o que acontece quando ela conhecer Selina e Bruce em seu novo planeta.





06 Homem-Animal

A versão do Homem-Animal de Grant Morrison ao longo dos anos 80 era tão influente e definitiva, que nos anos que se seguiram após fim da série do personagem na Vertigo, a DC parecia não saber o que fazer com o cara. Ele iria aparecer aqui e ali, geralmente durante eventos e sagas. O Homem-Animal foi rebaixado para segundo plano, servindo apenas como um lembrete de sua importância anterior.

Como a estrela de sua série própria nos Novos 52, escrita por Jeff Lemire, Homem-Animal tornou-se um dos componentes mais célebres do reboot. Enquanto permaneceu fiel a muitos aspectos do personagem, como a vida da família de Buddy Baker, Lemire também trouxe o personagem para novos territórios, amarrando-o com o próprio tecido do Universo DC, através de sua conexão com "o vermelho".
 




05 Batgirl

A perda da Oráculo no universo DC foi dolorosa para muitos fãs, mas no geral, o manto da "Batgirl" se beneficiou de obter um relançamento. Esta nova Batgirl tem mais do que fez Barbara Gordon tão grande como Oráculo: Ela ainda é brilhante, ela ainda é uma protetora das pessoas que ela se preocupa, e ela ainda tem uma força de vontade intensa. Mas agora temos de ver ela utilizando essas habilidades ao fazer esses movimentos acrobáticos fantásticos na roupa da Batgirl novamente.

Além disso, o título tem uma base de fãs forte, dando a escritora Gail Simone a oportunidade de passar algum tempo com Barbara Gordon de uma forma que ela não pode fazer na antiga versão de "Aves de Rapina". Apesar de haver uma grande quantidade de trabalhos de qualidade em histórias sobre garotas chamadas Cassie e Stephanie, que usaram a fantasia de Batgirl, obviamente há algo especial sobre o retorno a ruiva ao manto.


(Um dos colaboradores ainda acredita que ela nunca devia ter deixado de ser Oráculo, e não, ele não está gostando dessa fase atual.)



04  Cyborg

Um dos maiores pontos de discussão durante o anúncio inicial dos Novos 52 foi que a DC queria que suas comics refletissem um mundo mais diversificado.

Uma das principais formas que eles fizeram que foi estabelecendo o Cyborg, um super-herói Afro-Americano, como uma parte importante da HQ da Liga da Justiça, no pedestal dos grandes heróis juntamente com Superman, Batman, Mulher Maravilha, Flash, Lanterna Verde e Aquaman. Antes do reboot ele tinha sido associado principalmente com os Titãs, e nunca teve brilho própio.

Sendo que ele não tem seu própio título solo, a sua introdução na HQ começou de forma gradual, com ele como uma estrela de futebol da escola e esperando por um melhor relacionamento com seu pai. Mas ele provou ser o coração da mais recente encarnação da Liga da Justiça, oferecendo não apenas uma atitude de bom senso e conhecimento técnico, mas também uma conexão com o Quarto Mundo que ninguém poderia ter previsto. Todas as indicações são de que a DC tem grandes planos para o personagem daqui pra a frente, e seu lugar entre os ícones em todo o material promocional da DC sugere que eles estão falando sério.




03 Monstro do Pântano

Os Novos 52 tem sido muito bom para Alec Holland e seu alter ego verde. Embora o Monstro do Pântano foi oficialmente devolvido ao universo DC no final do Dia Mais Claro, oque se seguiu do personagem fracassou com uma história sem graça (em vez de inovar), praticamente matando qualquer excitação em torno do personagem morto.

Agradeço ao verde por Scott Snyder e Yannick Paquette por criar uma série que fez o Monstro do Pântano ser mais vital, interessante e necessário do que ele tem desde sua época nas mãos de Alan Moore. Ao contrário de outras tentativas de seguir Moore, Scott Snyder faz uma história com influência do mestre sempre que necessário, mas ao mesmo tempo trazendo o suficiente de seu próprio sabor para mantê-lo inovador e único. Visualmente, Paquette também consegue atualizar o visual da série dos dias de Bissette/Totleben, mas mantém o suficiente do seu estilo. Não só uma das melhores HQ's dos Novos 52, o Monstro do Pântano atual é também o tipo de ressurgimento que teria destaque a qualquer momento.




02 Mulher Maravilha

Você não pode culpar Brian Azzarello e Cliff Chiang por falta de ambição. Considerando que os outros membros da Trindade da DC vieram para os Novos 52 com mudanças cosméticas ou casamentos desfeitos (pobre Lois e Clark), a mudança na Diana era mais óbvia e mais sutil.

A Mulher Maravilha dos Novos 52 faz jus ao seu status de princesa guerreira muito melhor do que ela fez nos últimos anos, e ao mesmo tempo sendo enviada para aventuras épicas que a colocam com firmeza no panteão de deuses e deusas que ela descende. Os dois criadores mudaram o tom e a estética da HQ, seguindo uma direção única, que é ao mesmo tempo bela e terrível, e é completamente diferente do caráter das aventuras da heroína na Liga da Justiça. Pela primeira vez em anos, a personagem chega a ser tanto um super-heroína e uma guerreira ao mesmo tempo, dependendo de qual HQ você está lendo.


  
01 Aquaman

Todo mundo sabe Aquaman é uma piada. Quero dizer, ele fala com peixes, certo?

O novo título de Aquaman lançado levou esse conceito de cabeça erguida. As pessoas da nova DC parecia pensar sobre essas coisas, eles tinham a mesma percepção que o público em geral do mundo fora dos quadrinhos. Em seguida, ele ergueu seu tridente capotou um maldito caminhão por cima dele.

Isso não poderia ter feito que ele ganhasse instantaneamente o amor e carinho de todo o universo DC, mas certamente fez que os leitores de comics que riram do personagem no passado olharem o personagem de uma nova maneira. Adicionando a excelente companhia de sua esposa Mera, uma nova raça de monstros subaquáticos, e o fortalecimento similar de seu arqui-inimigo Arraia Negra. Ele também é mais uma vez um membro principal da Liga da Justiça, e sua HQ está se mantendo nos Top 10 de vendas nos USA.
E seguramente,
ele está ficando com cada vez menos piadas feitas por trás das costas sobre os seus poderes "inúteis".

Mas ele ainda fala com os peixes.

Comentários

  1. Eu nãotenho lido a HQ da Caçadora. Ela e a Poderosa estão nesta terra ou na terra 2 ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ambas são da terra 2, mas foram acidentalmente exiladas para a terra principal logo na primeira edição de "Worlds' Finest".

      Eliminar
  2. De todo o reboot o que mais me interessa ver é a Mulher-Maravilha.

    Finalmente exploraram o lado dela que masi em agrada e fizeram ela merecer um lugar ao lado do Super e do Batman, tomara que essa boa fase dure bastante.

    ResponderEliminar
  3. barbara gordon

    (Um dos colaboradores ainda acredita que ela nunca devia ter deixado de ser Oráculo, e não, ele não está gostando dessa fase atual.)

    faço coro ao colaborador.
    na minha opinião o universo dc perdeu sua personalidade.
    tomara que re-rebutem novamente,trazendo o universo de volta a sua normalidade.
    titãs tah um lixo.liga ta no mesmo caminho,não vai haver um manto negro e jade,filhos do allan,

    QUE MERDA A DC FEZ?????

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.