Avançar para o conteúdo principal

Lanterna Verde - #03

Lanterna Verde - #03 Mix Panini          (Nota: 7,5)

Lanterna Verde #3:

A cada edição que temos de Lanterna Verde, Sinestro parece brilhar mais e mais como protagonista dessa revista.  E sua interação com Hal lembra cada vez mais a dinâmica de filmes de duplas policiais, no melhor estilo “tira bom e tira mau”.

Nesse número continuamos desenvolvendo a relação entre Sinestro e Hal, onde Geoff Johns nos oferece cada vez mais um novo ponto de vista sobre o maior vilão dos Lanternas Verdes.
E finalmente a história se desenrola e temos o começo do embate entre a dupla de Lanternas contra a Tropa Sinestro (agora que o Sinestro voltou a ser Lanterna Verde o nome não deveria mudar?).



Mas ao mesmo tempo que isso acontece, vemos o começo do desenvolvimento do futuro evento do universo dos Lanternas: Rise of the Third Army.
E como vimos na edição passada,onde Ganthet sofreu uma lavagem cerebral dos Guardiões do Universo, aqui os Guardiões começam a discutir como o seu atual exército é imperfeito e cheio de emoções e começam a elaborar a criação de um novo exército.
(Para quem não sabe o primeiro exército dos Guardiões são os Caçadores Cósmicos e o segundo são os Lanternas Verdes)

Pobre Sinestro
Voltando para nossa dupla de Lanternas, vemos dois momentos incomuns no embate entre eles e a Tropa Sinestro:
O primeiro sendo Sinestro em um momento completamente emocional, onde ele arruína sua própria estratégia para salvar uma mulher de seu planeta.
E o segundo momento mostrando Hal Jordan matando um membro da Tropa Sinestro sem hesitação alguma, mostrando como as coisas mudaram desde que os Lanternas receberam autorização pra matar no final do evento Guerra dos Anéis, algo que ainda é chocante pra mim.

Para a próxima edição nos é prometido muito mais da incrível (e curiosa) luta de Sinestro VS Tropa Sinestro.


Lanterna Verde – Os Novos Guardiões #3:

Essa sem dúvida é a revista mais empolgante do universo do Lanterna Verde pós-reboot, com a proposta mais diferenciada e personagens cativantes. Mas é nessa terceira edição que os Novos Guardiões mostram finalmente porque essa revista merece ser lida.

Começamos com nosso herói Kyle Rayneroverpower“ usando todos os anéis e metendo o pau nos Guardiões do Universo pelo oque fizeram com Ganthet.
E devo dizer que está realmente interessante ver esse começo da trama da Rise of the Third Army se desenvolver, com os guardiões realmente se tornando vilões.

Como já foi visto, Hal Jordan foi expulso da Tropa, e agora Kyle também se vira contra os Guardiões, mas diferente de Hal, ele não consegue ter o anel retirado.
Com um ataque furioso contra os Oanos, Kyle realmente marca o fim de seu vínculo com a Tropa dos Lanternas Verdes.

Kyle Rayner, o Senhor dos Anéis
Porém Kyle não consegue manter tanto poder por muito tempo e acaba se desgastando intensamente e sendo derrotado pelos Guardiões. Eis que surgem os Novos Guardiões para enfrentar os temíveis Homenzinhos Azuis.
E por mais que eles se esforcem, eles acabam sendo derrotados, e quando parece que o novo grupo de Lanternas foi capturado eis que surge o nosso Lanterna Laranja favorito (só existem um mesmo): Larflezze!

É com muito entusiasmo e ansiedade que espero pra ver como Kyle Rayner vai lidar com seu novo status de Lanterna Verde renegado e como provável líder dessa equipe tão instável.


Tropa dos Lanternas Verde #3:

De todas as revistas do mix, essa é a única que ainda mantém os Lanternas Verdes bem fiéis a Tropa, sem mostrar mais os Guardiões do Universo.
Mas voltando a revista, se a última edição foi completamente intensa com ação frenética, essa continua exatamente da mesma maneira.
Mas essa edição se mostra muito mais instável e problemática do que as anteriores.

Quase ¾ da revista se dedica exclusivamente a ação ininterrupta entre os Lanternas Verdes e seus misterioso oponentes. Só que diferente da tensão da edição passada, essa não consegue transmitir nenhum sentimento de urgência, se resumindo a diversas páginas de lutas sem conteúdo.

E porque tantos Lanternas Verdes de tantas galáxias diferentes só conseguem criar armas de fogo para lutar?
É realmente desapontador ver tanto potencial desperdiçado.

Se as duas primeiras partes desse arco foram muito interessantes, essa não consegue ser nada além de pouco divertida. Espero que o roteirista consiga retomar o interesse dos leitores pelo arco na próxima edição, porque essa não foi nada promissora.


Conclusão:

Um fato que qualquer fã de Lanterna Verde irá concordar é que essa fase atual da revista está muito menos empolgante do que as fases anteriores (pré-reboot).
Apesar da revista principal do Lanterna Verde melhorar o nível nessa edição, a única revista do mix que trás algo inovador e realmente interessante é a dos Novos Guardiões.

Será que os Guardiões estão certos?
É realmente hora da Tropa dos Lanternas Verdes ter o seu fim? (claro que não! Risos)

Comentários

  1. A situação do Hal Jordan no final da Lanterna Verde #3 também foi muito louca, e pensar na cara de surpresa do Sinestro vendo que não aconteceu, digamos assim, exatamente como ele previra...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPECIAL: Constantine - Ordem de leitura!

Com tanta série vindo por aí, querer conhecer um pouco mais do que está chegando pode parecer uma boa ideia. Saiba o que ler para ter um conhecimento sobre o  mago inglês mais famoso da DC Comics e estar preparado para o que pode vir a ter na série.

Primeira Edição: a Kryptonita Rosa

Hoje vamos falar da maior fraqueza do Superman: a kriptonita. Aquela rocha saída do núcleo de Krypton, depois que tudo explodiu. A pedra uma certa radiação que faz um mal danado ao escoteiro azul. Com algumas variações, azul, vermelha, branca e dourada, a kryptonita tem uma irmã que nem todo mundo conhece.

Invasão - Por onde começar a ler X-Men

O grupo mutante X-Men é um dos maiores títulos da Marvel e sempre compete pela liderança de maior número de edições vendidas da editora e isso é um reflexo da qualidade de seus personagens e histórias.